Coronavírus

20 pessoas morreram após ingerir bebida que "curava" coronavírus

ABEDIN TAHERKENAREH

Mais de 200 pessoas foram internadas no Irão.

Especial Coronavírus

Pelo menos 20 pessoas morreram e cerca de 200 estão intoxicadas na cidade iraniana de Ahvaz por consumir álcool adulterado, depois de rumores de que poderia ajudar a curar o novo coronavírus, anunciou esta segunda-feira uma Universidade local.

Segundo o presidente da Universidade local de Ciências Médicas, Farhad Abol Neyadian, até à noite passada, 218 pessoas foram internadas por intoxicação com álcool adulterado, com registo de 20 vítimas mortais.

No entanto, a agência de notícias oficial iraniana Irna avançou esta segunda-feira que 27 pessoas morreram por intoxicação depois de beberem álcool adulterado.

Segundo a Irna, 20 pessoas morreram na província de Khuzestan, no sudoeste, e sete na de Alborz, província vizinha de Teerão.

"Algumas dessas pessoas ainda se encontram em estado grave e estão a ser submetidas a tratamentos de diálise", explicou Abol Neyadian, citado pela agência Irna.

Por seu lado, o vice-procurador-geral da cidade de Ahvaz, Ali Beiranvand, indicou que "com a propagação do Covid-19 e a diminuição da disponibilidade de etanol no mercado, alguns comerciantes tentam manipular o metanol, descolorando-o com lixívia e vendendo-o como etanol".

"Os envolvidos na produção e distribuição de bebidas alcoólicas serão processados de acordo com a Sharia [lei islâmica] e a proibição legal do consumo de álcool no país", advertiu Beiravand, que anunciou que "cinco distribuidores de álcool industrial artesanal" foram detidos.

No Irão, desde o triunfo da Revolução Islâmica de 1979, o consumo de álcool é proibido, mas podem ser encontradas bebidas importadas contrabandeadas ou de fabrico caseiro.

A ingestão de bebidas alcoólicas é punível com 80 chicotadas e a sua compra, venda e preparação com penas entre seis meses e dois anos de prisão.

Ao risco da punição legal acrescenta-se a possibilidade de intoxicações pelo uso de metanol.

Ali Beiranvand, instou os jovens a "não confiarem" em certas informações divulgadas nas redes sociais que recomendam o consumo de álcool para enfrentar e até curar o novo coronavírus.

Além da cidade de Ahvaz, outras cinco pessoas ficaram intoxicadas na cidade de Saveh, localizada na província de Markazi, e duas delas morreram.

Os números do coronavírus

O Irão anunciou esta segunda-feira que mais 43 pessoas morreram após serem contaminadas pelo novo coronavírus, elevando o número total de mortos para 237 entre os 7.161 casos de infeção pelo vírus confirmados no país.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 3.800 mortos.

Cerca de 110 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 62 mil recuperaram.

Portugal regista 30 casos confirmados de infeção, segundo o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado no domingo.

  • 3:09