Coronavírus

Ministério dos Negócios Estrangeiros cria Linha de Emergência

Endereço de e-mail ([email protected]) e linha telefónica (+351 217 929 755).

Especial Coronavírus

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) anunciou hoje a criação da Linha de Emergência Covid-19 para apoiar portugueses que se encontrem transitoriamente em viagem no estrangeiro e necessitem de ajuda para regresso a Portugal.

"Com o objetivo de dar apoio aos portugueses que se encontrem transitoriamente em viagem no estrangeiro e necessitem de ajuda para regresso a Portugal, o Ministério dos Negócios Estrangeiros criou a linha de emergência Covid-19, serviço assente no endereço de e-mail ([email protected]) e na linha telefónica (+351 217 929 755)", refere um comunicado do ministério liderado por Augusto Santos Silva.

SIGA AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE O SURTO DE COVID-19

Esta linha de emergência para viajantes estará disponível em dias úteis, entre as 09:00 e as 17:00, e, fora deste horário, será complementada pela atividade do Gabinete de Emergência Consular (GEC) em funcionamento 24 horas por dia, explica a nota.

"Com a presente decisão, o MNE coloca à disposição dos portugueses em viagem pelo mundo um serviço adicional, destinado sobretudo a prestar informações relativas ao regresso a território nacional no caso de ocorrerem dificuldades de circulação no país onde se encontrem", acrescenta o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O MNE adverte que a linha de emergência "não servirá para o tratamento de outros assuntos de natureza consular, tais como a emissão de cartões de cidadão, passaportes biométricos ou tratamento de pedidos de vistos", os quais "seguem os seus canais próprios e regulares junto dos postos consulares".

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.300 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 140 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

A OMS declarou hoje que o epicentro da pandemia provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) se deslocou da China para Europa, onde se situa o segundo caso mais grave, o da Itália, que anunciou 250 novas mortes, um recorde em 24 horas, e que regista 1.266 vítimas fatais.

O número de infetados em Itália, onde foi decretada quarentena em todas as regiões, é agora superior a 17.600, cerca de 2.500 mais do que na quinta-feira e praticamente metade dos quase 35 mil casos confirmados na Europa, onde se registaram perto de 1.500 mortos.

Até à meia-noite de quinta-feira (16:00 horas em Lisboa), o número de mortos na China continental, que exclui Macau e Hong Kong, subiu para 3.176, após terem sido contabilizadas mais sete vítimas fatais. No total, o país soma 80.813 infetados.

A Comissão Nacional de Saúde informou que até à data 64.111 pessoas receberam alta após terem superado a doença.Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

Veja também: