Coronavírus

Governo explica estado de calamidade em Ovar

MANUEL DE ALMEIDA

Ministra da Saúde diz que há um “elevado número de casos numa área geográfica restrita”.

Especial Coronavírus

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e a ministra da Saúde, Marta Temido, explicaram esta terça-feira em conferência de imprensa a declaração do estado de calamidade no concelho de Ovar, onde passam a estar restringidas as atividades económicas e a circulação de pessoas.

Marta Temido diz que a zona é compatível com um quadro de transmissão comunitária ativa e que, por isso, há um risco de transmissão generalizado do novo coronavírus e de ocorrerem novas cadeias de transmissão.

A ministra informa ainda que só no concelho de Ovar existem 30 casos confirmados de Covid-19 e, decorrentes desses, 440 contactos já identificados e em monitorização, com recomendação de isolamento.

“Estamos perante um número elevado de casos confirmados numa área geográfica restrita e com muitos contactos. 50% dos casos da Administração Regional de Saúde do Centro estão nesta região”.

O que significa o estado de calamidade?

A medida, que vai ser aplicada de imediato e se encontra em vigor até 2 de abril, prevê uma restrição nas atividades económicas e na circulação de pessoas. Fica vedada a saída dos residentes do município e proibida a entrada de qualquer pessoa, exceto em situações excecionais que envolvam profissionais de saúde, socorro e forças de segurança.

Todas as atividades comerciais ou industriais estão interditas, excetuando as relativas ao setor alimentar. Assim sendo, serão encerrados todos os restaurantes, mantendo-se apenas abertos padarias e supermercados.

Farmácias, bancos e postos de combustíveis continuarão abertos, assim como hospitais, centros de saúde, estruturas de socorro e das forças de segurança e as de abastecimento de água e energia.

A explicação foi dada pelo ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que apelou à compreensão dos cidadãos e manifestou solidariedade num “momento difícil”.

OS NÚMEROS DO CORONAVÍRUS


O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 180.000 pessoas, das quais mais de 7.000 morreram e 75.000 recuperaram.

O surto começou em dezembro na China, que regista a maioria dos casos, e espalhou-se entretanto por mais de 145 países e territórios. Na Europa há mais 67.000 infetados e pelo menos 2.684 mortos, a maioria dos quais em Itália, Espanha e França.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.

Dos casos confirmados, 242 estão a recuperar em casa e 206 estão internados, 17 dos quais em Unidades de Cuidados Intensivos. Há ainda a assinalar mais 4.030 casos suspeitos até hoje, dos quais 323 aguardam resultado laboratorial.

Do total de cidadãos infetados em Portugal, três recuperaram.

O país está em estado de alerta desde sexta-feira, tendo o Governo colocado os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão.

SIGA AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19

Veja também: