Coronavírus

Comissão Europeia anuncia suspensão inédita da disciplina orçamental

Johanna Geron

Estados-membros podem estimular "o quanto quiserem" as suas economias.

Especial Coronavírus

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, anunciou esta sexta-feira a decisão inédita de suspender as regras da disciplina orçamental da União Europeia.

A decisão sem precedentes permite que os Estados-membros "estimulem o quanto quiserem" as suas economias para facer face ao impacto da pandemia de Covid-19.

"Hoje - e isto é inédito e nunca foi feito - acionamos a cláusula geral de salvaguarda, o que significa que os Governos nacionais podem estimular a economia o quanto quiserem. Estamos a relaxar as regras orçamentais para os permitir fazê-lo".

"A suspensão da nossa vida pública é necessária para conter o vírus, mas também abranda severamente a nossa economia", diz Ursula von der Leyen num vídeo publicado no Twitter.

Há uma semana, a Comissão Europeia já tinha admitido que, no caso de uma "severa desaceleração da economia" na zona euro e UE, devido aos impactos da covid-19, iria suspender os ajustamentos orçamentais recomendados aos Estados-membros.

Na mensagem publicada esta sexta-feira, von der Leyen aproveita ainda para "saudar a ação decisiva anunciada pelo Banco Central Europeu [BCE] esta semana", após este organismo ter anunciado na quarta-feira à noite um novo programa de compra de dívida no valor de 750.000 milhões de euros para aliviar a situação no mercado da dívida e o impacto económico do surto de covid-19.

"Isto cria a potência que precisamos na UE para apoiar a economia", afirmou.