Coronavírus

Federação espanhola de futebol quer pedir financiamento para clubes perante pandemia de Covid-19

Amr Nabil

Luís Rubiales pretende obter um financiamento de 500 milhões de euros para os clubes da primeira e segundas divisões.

O presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Luís Rubiales, pretender obter junto da banca um financiamento de 500 milhões de euros para os clubes da primeira e segundas divisões, devido à crise existente com a Covid-19.

"Queremos estender a mão ao futebol profissional. Estamos na disposição de nos sentarmos com a Liga e procurar financiamento para os clubes com problemas. Vão existir clubes que não recebem totalmente o dinheiro da televisão, e, por isso, vamos trabalhar numa linha de 500 milhões de euros para enfrentar as dificuldades e num financiamento a quatro, cinco ou seis anos", disse o dirigente.

Além da 'ajuda' aos clubes profissionais, a RFEF anunciou ainda uma linha de subsídios para o futebol não profissional, que irá até aos quatro milhões de euros.Para o futebol profissional, Rubiales considera que é possível pedir crédito aos três ou quatro bancos mais importantes de Espanha.

"Daremos como aval os direitos dos clubes (...). É uma solução prática e resolve um problema dos clubes da primeira e segundas divisões", acrescentou Luís Rubiales, que concorre, em eleições agora sem data marcada, com Iker Casillas à liderança da RFEF.

O dirigente insistiu ainda que todas as competições estão suspensas e que a prioridade não é encontrar datas para realizar os jogos, mas ajudar o país em relação à situação que se vive, com Espanha a ser já o segundo país com mais mortes (3.434 pessoas) devido à pandemia da Covid-19.

"Não queremos fazer esquemas ou pensar em datas. A época deve ser concluída, seja quando for. Não temos prazos, e se tivermos datas veremos o que fazer", adiantou o responsável federativo.

  • 100 mortes e 5.170 casos de Covid-19 em Portugal

    Coronavírus

    O número de óbitos subiu de 76 para 100 em relação ao último balanço da DGS, enquanto o número de infetados aumentou de 4.268 para 5.170, mais 902 em relação a ontem. A região Norte continua a ser a mais afetada. A ministra da Saúde diz que a incidência máxima da doença deve acontecer no final de maio. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia de Covid-19.

    Direto

    SIC Notícias