Coronavírus

Costa visita centros que se adaptaram para produzir equipamentos médicos

O primeiro-ministro quer "dar visibilidade à capacidade de iniciativa e voluntarismo de organizações que adaptaram a sua atividade à produção de bens essenciais ao combate à pandemia".

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro, António Costa, visita hoje centros industriais em Famalicão e Matosinhos que adaptaram a sua atividade para produzir equipamentos médicos considerados essenciais para o combate à Covid-19, como ventiladores.

Pelas 11:00, o líder do executivo desloca-se ao Citeve - Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal, em Vila Nova de Famalicão, no distrito de Braga, seguindo depois, ao início da tarde, para Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEIIA) de Matosinhos, no distrito do Porto.

Com estas visitas, segundo uma nota do gabinete do primeiro-ministro, pretende-se "dar visibilidade à capacidade de iniciativa e voluntarismo de organizações que adaptaram a sua atividade à produção de bens essenciais ao combate à pandemia Covid-19, nomeadamente ventiladores e equipamentos têxteis hospitalares".

"Sendo produtos com elevados requisitos técnicos, o trabalho do CEIIA e do Citeve, em colaboração com o Governo, é fundamental para permitir eficácia na resposta e coordenação do esforço individual das várias empresas, bem como a sua adequação às efetivas necessidades", lê-se na mesma nota.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais 505 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram cerca de 23.000.

Em Portugal, registaram-se 60 mortes, mais 17 do que na véspera (+39,5%), e 3.544 infeções confirmadas, segundo o balanço feito na quinta-feira pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 549 novos casos em relação a quarta-feira (+18,3%).

Veja também: