Coronavírus

Covid-19: Bolsonaro triplica valor do subsídio para trabalhadores informais

Joedson Alves

Para apoiar famílias que eventualmente tenham o seu sustento reduzido devido à pandemia de Covid-19.

Especial Coronavírus

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, anunciou na quinta-feira que o subsídio mensal oferecido a trabalhadores informais, sem contrato de trabalho, atingidos pela crise do novo coronavírus será de 600 reais (108 euros), o triplo do valor inicialmente informado.

"Aquela ajuda inicial para os informais era muito pouca. Conversei com o Paulo Guedes [ministro da Economia] e ele resolveu triplicar esse valor. Estamos a passar essa ajuda emergencial de 600 reais por três meses para os trabalhadores informais", anunciou hoje o chefe de Estado, na sua habitual transmissão de vídeo em direto na rede social Facebook.

Na semana passada, o ministro da Economia do Brasil informou que o Governo iria atribuir 200 reais mensais (cerca de 36 euros) a trabalhadores informais e por conta própria, uma medida que beneficiaria milhões de famílias que eventualmente teriam o seu sustento reduzido devido à pandemia de Covid-19.

"A preocupação do Presidente é o mercado informal. São 38 milhões de brasileiros que estão nas praias a vender mate [bebida característica da América do Sul], vender cocada [doce de coco] na rua. Todos trabalhadores autónomos", afirmou Guedes na semana passada, numa reunião de ministros.

Os novos subsídios começarão a ser distribuídos este mês e continuarão pelos próximos três meses, momento em que o Brasil deverá enfrentar o auge da pandemia, embora o governante tenha esclarecido que essas medidas podem vir a ser prorrogadas, dependendo da situação sanitária, social e económica do país.

O número de mortos pelo novo coronavírus no Brasil aumentou na quinta-feira para 77, registando ainda 2.915 infetados, anunciou o Ministério da Saúde, no dia em que a chegada da pandemia a território brasileiro completou um mês.

Segundo o Governo brasileiro, oito das 27 unidades federativas (26 estado mais capital) do país registaram óbitos devido à covid-19: Amazonas, Ceará, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Assim, todas as regiões do Brasil - norte, nordeste, sudeste, centro-oeste e sul - têm mortes confirmadas pelo novo coronavírus.

Apesar de o alcance geográfico do vírus ter aumentado, São Paulo continua a ser o estado brasileiro mais afetado pela covid-19, contabilizando 58 mortos e ultrapassando os mil infetados, com 1.052 casos confirmados. Segue-se o Rio de Janeiro com nove óbitos e 421 casos positivos de infeção.

Veja também:

  • Quase 11 mil mortos em Espanha. Rock in Rio Lisboa adiado para 2021

    Coronavírus

    Nas últimas 24 horas, Espanha registou mais 932 mortes e 7.472 casos de Covid-19. O balanço de vítimas em território espanhol ascende agora a 117.710 infetados e 10.935 vítimas mortais. Portugal regista 209 mortes e 9.034 casos. A edição deste ano do festival Rock in Rio em Lisboa foi adiada para 2021. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia.

    Direto

    SIC Notícias