Coronavírus

"Repugnante". Costa critica discurso do ministro das Finanças holandês

"Repugnante". Costa critica discurso do ministro das Finanças holandês

Andreia Melo

Jornalista

Wopke Hoekstra sugeriu que a Comissão Europeia investigue Espanha por ter afirmado que não tem margem orçamental para responder à crise provocada pelo novo coronavírus.

Especial Coronavírus

"Repugnante": foi a palavra usada por António Costa para qualificar as declarações do ministro das finanças holandês. Wopke Hoekstra terá sugerido que a Comissão Europeia investigue países, como Espanha, que afirmaram não ter margem orçamental para responder à crise provocada pela Covid-19 sem o apoio financeiro da União Europeia, apesar de a zona euro estar a crescer há sete anos consecutivos.

As críticas do primeiro-ministro português surgiram no final da reunião do Conselho Europeu, que aconteceu por videoconferência. Reunião essa que não reuniu o consenso dos líderes dos 27. De um lado, países como Portugal, Espanha, França ou Itália exigem mais da União Europeia e pedem a emissão de dívida conjunta, os chamados corona bonds. De outro, países como a Alemanha ou os Países Baixos que defendem o atual Mecanismo Europeu de Estabilidade.

Do Conselho Europeu, saem exigências, como mais rapidez nos processos de compra de material e equipamento médico e de proteção individual ou o reforço do orçamento para que se crie um stock de reserva europeu.

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia deram ainda duas semanas ao Eurogrupo para voltar a apresentar propostas de resposta ao impacto económico causado pela Covid-19.

Mário Centeno já respondeu ao apelo e convocou os ministros das Finanças para uma reunião na próxima semana.

Veja também: