Coronavírus

Covid-19: Governo grego apela a políticos para doarem parte do ordenado

POOL New

Oposição diz mesmo que "essa obrigação" deveria ser obrigatória e não opcional.

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, apelou esta terça-feira aos membros do Governo e deputados da maioria a doarem parte do salário aos fundos de "combate" ao coronavírus, seguindo o exemplo da chefe de Estado da Grécia.

Katerina Sakellaropoulo, que assumiu funções no passado dia 13 de março como Presidente da Grécia decidiu doar a maior parte do salário dos dois próximos meses "devido às circunstâncias financeiras difíceis em que o país se encontra por causa da pandemia de coronavírus".

"Face à ameaça sanitária somos todos iguais mas para a combater cada um deve participar de acordo com as suas próprias forças", declarou de imediato o chefe do governo Kyriakos Mitsotakis, fazendo o mesmo que a Presidente da República.

O primeiro-ministro apelou aos políticos do país para que se posicionem no primeiro plano da "solidariedade" exortando os membros do Executivo e a maioria parlamentar que apoia o governo conservador da Nova Democracia.Sendo assim, as doações passam a ser destinadas ao fundo especial de combate à pandemia na Grécia.

O primeiro-ministro acrescentou ter a "certeza de que todos os partidos" vão tomar uma posição semelhante.

O líder da oposição, o partido de esquerda, Syriza, disse mesmo que "essa obrigação" deveria ser obrigatória e não opcional porque os trabalhadores que perdem a maioria dos salários não têm outra escolha.

O Syriza, o partido do ex-primeiro-ministro Alexis Tsipras disse em comunicado que essa contribuição devia ser aplicada também aos eurodeputados e aos responsáveis de cargos governamentais e jurídicos e outros altos funcionários do setor público.