Coronavírus

"Ainda não é momento de vermos a luz ao fundo do túnel"

Primeiro-ministro diz ser preciso "ir acompanhando a par e passo os números" da evolução da doença em Portugal.

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro, António Costa, avisou esta terça-feira que "não vale a pena ter pressas" porque ainda não chegou o momento de ver "a luz ao fundo do túnel", rejeitando precipitações no "otimismo da evolução da curva" da Covid-19.

António Costa falava aos jornalistas no Palácio da Ajuda, em Lisboa, depois do Conselho de Ministros extraordinário no qual o Governo deu parecer favorável à proposta de decreto do Presidente da República para a renovação do estado de emergência por mais 15 dias com o objetivo de conter a pandemia da Covid-19.

"Não vale a pena ter pressas. Este momento ainda não é o momento das pressas, ainda não é momento de vermos a luz ao fundo do túnel. Sabemos que no fundo do túnel há uma luz, mas ela ainda não está à vista", avisou.

O primeiro-ministro defendeu ser preciso "ir acompanhando a par e passo os números" da evolução da doença em Portugal.

"Não podemos ser precipitados no otimismo da evolução da curva porque todos sabemos que quando começarmos a levantar as restrições, elas têm que ser levantadas lentamente porque naturalmente aí as contaminações aumentarão e não poderão aumentar para além daquilo que é controlável", explicou.

Na perspetiva de António Costa, o desejo de todos é que seja possível rapidamente "virar esta página" e "ir retomando a normalidade" da vida de todos.