Coronavírus

FIFA sente-se "obrigada" a salvar clubes e federações

ARND WIEGMANN

Pedro Sepúlveda

Pedro Sepúlveda

Jornalista/Produtor Editorial

A organização liderada por Gianni Infantino mencionou a possível criação de um "fundo de apoio" para o futebol mundial

Especial Coronavírus

As discrepâncias financeiras entre os clubes foram sempre uma grande dor de cabeça para a FIFA, mas, face à pandemia da Covid-19, até os clubes mais ricos estão a passar dificuldades.

A FIFA está, por isso, a refletir sobre a melhor forma de ajudar clubes e ligas.

"O futebol está a enfrentar sérios problemas financeiros devido à pandemia e isso pode comprometer a capacidade das federações, outras organizações e clubes, de profissionais a futebol de base. Em muitas partes do mundo, um número considerável de pessoas envolvidas no futebol, incluindo homens e mulheres, permanecerá em condições económicas extremamente difíceis. A FIFA tem uma saúde financeira sólida e deve fazer de tudo para ajudar", afirmou um porta-voz do organismo presidido por Gianni Infantino, em declarações à 'Ansa'

O plano passa pela criação de um fundo de proteção ao futebol que será criado depois de compreendido o impacto real da crise.

De acordo com o jornal New York Times, a FIFA pretende estabelecer um fundo de compensação inicialmente de algumas centenas de milhões de euros, tentando também antecipar futuras verbas de patrocinadores e direitos televisivos.

Atualmente, a FIFA distribui 5 milhões de euros por ano para cada uma das 211 associações membros. Este novo fundo vai permitir fornecer empréstimos de curto prazo e subsídios de emergência, de modo a garantir a sobrevivência de muitos clubes e federações.