Coronavírus

Covid-19: Jovens não devem descurar proteção

Willy Kurniawan

Aviso da Organização Mundial de Saúde.

Especial Coronavírus

Mais de 95% dos mortos na Europa infetadas pelo novo coronavírus tinham mais de 60 anos, mas os jovens não devem descurar as medidas de proteção, lembrou esta quinta-feira o responsável da Organização Mundial de Saúde para a Europa.

Hans Kluge disse que a idade não é o único fator de risco para contrair de forma grave a doença que colocou milhões de pessoas em isolamento e está a parar a economia mundial. "A ideia de que a covid-19 apenas afeta as pessoas com mais idade é factualmente errada", afirmou durante uma conferência de imprensa 'online'.

"As pessoas jovens não são invencíveis", referiu. Estes comentários vão ao encontro das declarações do diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

A organização das Nações Unidas para a Saúde estima que 10% a 15% das pessoas com menos de 50 anos sejam casos moderados a graves.

"Casos graves da doença têm sido registados em adolescentes e jovens na casa dos 20 anos, muitos deles a requererem cuidados intensivos e alguns, infelizmente, morreram", lamentou Kluge.

O mesmo responsável afirmou que as estatísticas recentes mostraram que mais de 30 mil pessoas morreram na Europa, a maioria em Itália, França e Espanha.

"Sabemos que mais de 95% destas mortes ocorreram acima dos 60 anos de idade", mais de metade das quais em pessoas com mais de 80 anos, frisou.

Kluge indicou que mais de 80% dos que morreram tinham, pelo menos, outro problema crónico, como complicações cardiovasculares, hipertensão ou diabetes.

"No aspeto positivo, há relatos de pessoas com mais de 100 anos que foram admitidas no hospital por covid-19 e registam agora uma completa recuperação", exemplificou.