Coronavírus

Diretora-geral de saúde da Escócia desculpa-se após furar confinamento

POOL New

Catherine Calderwood visitou residência de férias.

Especial Coronavírus

A diretora-geral de saúde da Escócia, Catherine Calderwood, foi obrigada este domingo a pedir desculpa por ter desrespeitado o confinamento decretado para evitar a propagação da pandemia de covid-19 ao visitar uma residência de férias.

A visita à casa em Fife, a cerca de 50 quilómetros da capital Edimburgo, onde vive e trabalha, foi noticiada hoje pelo jornal Scottish Sun, que publicou fotografias, e Calderwood recebeu um aviso da polícia por ter infringido as regras de não sair de casa sem ser em caso de necessidade.

Além de um comunicado a lamentar o sucedido, a responsável esteve presente hoje na conferência de imprensa junto da primeira-ministra, Nicola Sturgeon, onde foi novamente confrontada com o sucedido.

"Não segui o conselho que dei a outros. Lamento muito o que fiz", afirmou.

Embora esteja sob pressão para se demitir, Calderwood disse ter consultado Sturgeon e vai continuar em funções, mas deverá ser afastada das conferência de imprensa e campanhas públicas de informação.

"O que sei é que, nas últimas semanas a combater esta crise, os conselhos e experiência dela têm sido preciosos. Se eu quero continuar a conduzir este país o melhor possível através desta crise, preciso dela para se concentrar no trabalho que está a fazer. Um trabalho que, independentemente do erro que cometeu, está a fazer muito bem", justificou a chefe de governo escocesa.

A Escócia registou até hoje 220 mortes entre 3.706 pessoas diagnosticadas com covid-19.

De acordo com o balanço feito hoje, o Reino Unido registou nas últimas 24 horas mais 621 mortes de pessoas infetadas, elevando o número total de óbitos durante a pandemia covid-19 para 4.934, indicou o Ministério da Saúde britânico.

O número de pessoas infetadas aumentou para 47.806, após diagnosticados mais 5.903 casos positivos em todo o país, que inclui Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

A polémica com a diretora-geral de saúde escocesa coincide com as críticas do ministro da Saúde, Matt Hancock, às pessoas que aproveitaram o bom tempo durante o fim-de-semana para passear ao ar livre.

"Se não quiserem que tomemos a decisão de proibir o exercício de qualquer forma fora de casa, é necessário cumprirem as regras", avisou, em declarações à BBC, tendo acrescentado, na Sky News, que apanhar banhos de sol na relva de parques públicos vai contra as regras do governo de evitar saídas desnecessárias.

SIGA AQUI AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES DA PANDEMIA DE COVID-19

ESPECIAL CORONAVÍRUS