Coronavírus

Covid-19: Deram negativo testes em lar de Estarreja com funcionária infetada

Brian Snyder

De acordo com a autarquia, durante o fim de semana realizaram-se 40 testes, todos com resultado negativo.

Especial Coronavírus

A Câmara de Estarreja, no distrito de Aveiro, confirmou esta segunda-feira que deram negativo todos os testes à covid-19 realizados aos utentes do lar do Centro Paroquial de Santa Marinha de Avanca, onde uma funcionária administrativa acusou infeção pelo novo coronavírus.

De acordo com uma nota publicada no site da autarquia, durante o fim de semana realizaram-se 40 testes, todos com resultado negativo.

"Agora com novos apoios, nomeadamente das empresas do Complexo Químico, e porque continua a não haver resposta do Serviço Nacional de Saúde, daremos continuidade à realização de testes a funcionários, antes da rotatividade das equipas de trabalho, no Centro Paroquial de Avanca e na Associação Humanitária de Salreu, e na quarta-feira, na Fundação do Conégo Filipe de Figueiredo", refere a mesma nota.

Na sexta-feira, a autarquia informou ter em mãos "mais uma situação preocupante", depois de ter sido confirmado um caso de infeção pelo novo coronavírus no lar do Centro Paroquial de Santa Marinha de Avanca.

"Trata-se de uma funcionária administrativa que não tem contacto direto com os idosos", adiantou na ocasião a câmara, que decidiu assumir o pagamento dos testes, tal como já tinha feito anteriormente no Lar da Associação Vida Nova, de Pardilhó.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 73 mil.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 311 mortes, mais 16 do que na véspera (+5,4%), e 11.730 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 452 em relação a domingo (+4%).

Dos infetados, 1.099 estão internados, 270 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 140 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até ao final do dia 17 de abril, depois do prolongamento aprovado na quinta-feira na Assembleia da República.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 de março o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

  • Não estou de acordo

    Opinião

    Não estou de acordo com métodos medievais para enfrentar uma pandemia. Se os vírus evoluíram, a organização da sociedade também deveria ter evoluído o suficiente para os combater de outra forma. O recolher obrigatório é próprio dos tempos obscuros e das sociedades não democráticas. Proibir as pessoas de circular na rua asfixia a economia e não elimina a pandemia.

    José Gomes Ferreira