Coronavírus

Mais de 100 organizações pedem cancelamento da dívida de países em desenvolvimento

Ann Wang

Para ajudar a enfrentar a crise provocada pelo novo coronavírus.

Especial Coronavírus

Mais de 100 organizações pedem o cancelamento da dívida dos países em desenvolvimento em 2020 para ajudar a enfrentar a crise do coronavírus sem acréscimo de juros e encargos e sem multas.

João José Fernandes, Diretor Executivo da Oikos afirma: “Milhões de pessoas em alguns dos países mais pobres do mundo estão a enfrentar estas devastadoras crises (saúde, social e económica) que resultam da pandemia de Covid-19. O cancelamento permanente dos próximos pagamentos de dívida que esses países devem seria a forma mais rápida de libertar os recursos públicos existentes para enfrentar esta crise sem precedentes e salvar vidas".

As organizações da sociedade civil estimam que o cancelamento de todos os pagamentos de dívidas dos países de baixo rendimento a outros governos, instituições multilaterais e credores privados libertaria até 25 mil milhões de dólares para combater o coronavírus este ano.

O FMI e o Banco Mundial já pediram a suspensão dos pagamentos da dívida dos países mais pobres a outros governos, mas, segundo a Oikos, como os efeitos da pandemia duram vários anos, atrasar em vez de cancelar os pagamentos não resolveria o problema.