Coronavírus

Brasil tem 1.124 mortes e 20.727 casos confirmados do novo coronavírus

Rahel Patrasso

São Paulo continua a ser o estado brasileiro com maior número de casos confirmados.

Especial Coronavírus

O Brasil registou 1.124 mortes, mais 68 que na sexta-feira, causadas pela covid-19, num total de 20.727 infetados (mais 1.089 casos), informou hoje o Ministério da Saúde do país.

Nas últimas 24 horas, o país sul-americano registou 68 vítimas mortais e 1.089 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, que causa a covid-19, sendo que a taxa de letalidade da doença no Brasil está fixada em 5,4%.

São Paulo continua a ser o estado brasileiro com maior número de casos confirmados (560 mortos e 8.419 pessoas infetadas), seguindo-se o Rio de Janeiro, (155 vítimas mortais e 2.607 casos confirmados). A terceira unidade federativa com mais casos é o Ceará, que teve, até ao momento, 67 óbitos e 1.582 casos de infeção.

A região Sudeste concentra o maior número de casos confirmados até ao momento, com 12.125 casos confirmados, sendo que no lado oposto encontra-se o centro-oeste brasileiro, com 1.009 infetados.

No entanto, os números de infetados no Brasil não são considerados confiáveis porque os testes têm sido realizados a pessoas que procuraram atendimento médico nos hospitais, e o Governo admite que haja uma subnotificação de casos.

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, visitou hoje, juntamente com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o governador do estado de Goiás, Ronaldo Caiado, um hospital de campanha com 200 camas que está a ser construído em Águas Lindas de Goiás, município a 57 quilómetros da capital brasileira, Brasília.

A visita de Bolsonaro provocou aglomerações de populares que gritaram palavras de ordem a favor do chefe de Estado brasileiro.

Os apoiantes do Presidente também aproveitaram para criticar jornalistas e o governador de Goiás, que rompeu politicamente com o chefe de Estado brasileiro por discordar de sua postura na resposta à pandemia da covid-19 - Bolsonaro tem-se mostrado contra o isolamento social como medida para travar o contágio, alertando para efeitos negativos para a economia.