Coronavírus

Funcionários de justiça não compreendem a pressa na libertação dos reclusos

Pelo menos 2.000 detidos vão sair das prisões.

Especial Coronavírus

Entre os reclusos, até agora, apenas uma tinha restado positivo para Covid-19 e já teve alta clínica. Os casos de infeção registados são em oito trabalhadores: guardas prisionais, pessoal médico, de enfermagem e em cargos administrativos.

Os funcionários judiciais não compreendem, por isso, a pressa exigida pelo Governo, que obriga a que os funcionários tenham que trabalhar até no fim-de-semana de Páscoa, incluindo as pessaos mais vulneráveis.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19

  • 2:34
  • 49:03