Coronavírus

Potencial vacina contra a Covid-19 testada na Alemanha

Ted S. Warren

A gigante farmacêutica norte-americana Pfizer começa a testar uma vacina contra a Covid-19 já na próxima semana. Enquanto isso, uma empresa alemã, com quem está a trabalhar, já iniciou testes em humanos. Juntas, a Pfizer e a BioNTech, dizem-se em condições de fornecer milhões até ao final do ano.

Especial Coronavírus

O primeiro grupo de participantes recebeu a potencial vacina, BNT162, na Alemanha.

"Doze participantes do estudo foram vacinados com a candidata BNT162, na Alemanha, desde o início do ensaio clínico, a 23 de abril de 2020", afirmou a BioNTech, em comunicado.

Se tudo correr bem, de acordo com o Wall Street Journal, a vacina, para uso emergente, pode estar pronta no outono.

Para já, não está disponível qualquer informação sobre os resultados dos testes.
Segundo a empresa de biotecnologia, a segurança e a imunogenicidade da vacina estão ainda a ser investigadas.

A Pfizer e a BioNTech planeiam iniciar testes para a BNT162 nos EUA, sob aprovação prevista para breve, diz o comunicado.

"As empresas acreditam que há potencial para fornecer milhões de doses da vacina até ao final de 2020 - sujeitas ao sucesso técnico do programa de desenvolvimento e à aprovação pelas autoridades reguladoras - e para aumentar rapidamente a capacidade de produzir centenas de milhões de doses em 2021", lê-se ainda.

A Pfizer não é o único grupo com uma potencial vacina Covid-19 em estudo. Na semana passada, cientistas do Instituto Jenner da Universidade de Oxford, no Reino Unido, começaram a testar uma vacina em seres humanos e, dependendo dos resultados do ensaio, admitem estar prontos para distribui-la a partir de setembro.

As autoridades dizem que mais de meia dúzia de programas de vacinas estão em fase de testes clínicos, e mais de 80 estão em fase preliminar.