Coronavírus

Mais 20 mortes e 242 infetados com Covid-19 em Portugal

Rafael Marchante

O último balanço da DGS.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta segunda-feira a existência de 1.063 mortes e 25.524 casos de Covid-19 em Portugal.

O número de óbitos subiu, de ontem para hoje, de 1.043 para 1.063, mais 20 - uma subida de 1,9% -, enquanto o número de infetados aumentou de 25.282 para 25.524, mais 242, o que representa um aumento de 1%.

O número de casos recuperados subiu de 1.689 para 1.712, mais 23 do que ontem.

Há 813 doentes internados, 143 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (609), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (218), do Centro (209) Algarve (13), dos Açores (13) e do Alentejo que regista um caso, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de domingo, mantendo-se a Região Autónoma da Madeira sem registo de óbitos.

1.º dia útil do desconfinamento

Portugal inicia esta segunda-feira o primeiro "dia útil" da situação de calamidade devido à pandemia de covid-19, com a reabertura condicionada de lojas, cabeleireiros, livrarias e comércio automóvel sob algumas regras de segurança e higiene.

As regras

Passa a ser obrigatório o uso de máscara nas las lojas até 200 metros quadrados com porta aberta para a rua. Nos cabeleireiros e similares o atendimento é feito por marcação. Nos espaços fechados, a lotação máxima é de cinco pessoas por 100 metros quadrados.

Passa também a existir a possibilidade de prática de desportos individuais ao ar livre.

As livrarias de rua, independentemente da sua área, podem também abrir ao público, assim como jardins e espaços exteriores de museus, palácios e monumentos.

Passa também a ser possível a presença de familiares em funerais.

O uso de máscaras ou viseiras em transportes públicos e em supermercados é obrigatório desde domingo, uma medida de proteção que se estende também a estabelecimentos de ensino e creches, quando reabrirem, para funcionários docentes e não docentes e alunos maiores de 6 anos.

Ministro das Infraestruturas diz que ainda não há grandes enchentes nos comboios

O ministro das Infraestruturas hoje a Central de Segurança das Infraestruturas de Portugal, em Santa Apolónia. Pedro Nuno Santos garante que neste primeiro dia útil da situação de calamidade ainda não há grandes enchentes nos comboios, mas sim uma boa lotação que permite cumprir o distanciamento.

O ministro diz ainda que há quem não cumpra com as normas, mas que a esmagadora maioria está a usar máscaras. Alerta ainda que as forças de segurança estão no terreno para fiscalizar o cumprimento das regras.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO AS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19