Coronavírus

Médicos franceses detetam coronavírus no país no final de dezembro

Benoit Tessier

O caso foi descoberto através de um estudo retrospetivo dos testes.

Especial Coronavírus

Médicos franceses acreditam que o coronavírus que provoca a doença Covid-19 já estava ativo no país no final de dezembro, depois de terem diagnosticado retrospetivamente um doente que, a 27 de dezembro, esteve internado num hospital de Paris.

O caso foi descoberto através de um estudo retrospetivo dos testes de PCR (para deteção do vírus SARS-CoV-2) realizados em 24 doentes internados em dezembro e janeiro com pneumonia, explicou o diretor dos cuidados intensivos dos hospitais Avicenne de Bobigny e Jean Verdier de Bondy, Yves Cohen, em declarações feitas hoje à "France Info".

As amostras de PCR foram recolhidas de um homem que entrou no hospital Jean Verdier em dezembro e foram agora testadas novamente, tendo mostrado um resultado positivo para Covid-19, o que indica que o doente estava infetado naquela altura.

O homem, que não tinha feito quaisquer viagens que levassem a desconfiar que tivesse sido infetado fora do país, esteve doente durante 15 dias e infetou os seus dois filhos, mas não a sua mulher.

Os médicos consideram que a mulher, sendo assintomática, pode estar na origem do contágio da família, especialmente considerando que trabalha numa peixaria de um supermercado em que há clientela de origem chinesa.

O estudo deverá ser publicado numa revista especializada na próxima semana.

A Agência Regional de Saúde da região de Paris já afirmou que vai analisar a tese de que o coronavírus já estava em França antes dos primeiros casos oficialmente registados, a 24 de janeiro, de um francês de origem chinesa e dois turistas chineses que estiveram na cidade de Wuhan, onde se localizou a origem da pandemia.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO AS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19