Coronavírus

Espanha ultrapassa as 26 mil mortes por Covid-19

Manu Fernandez

O último balanço das autoridades de saúde espanholas.

Especial Coronavírus

O Ministério de Saúde espanhol anunciou esta quarta-feira a existência de 26.070 mortes e 221.447 casos de Covid-19 no país.

O número de vítimas mortais subiu, de ontem para hoje, de 25,857 para 26.070, mais 213, um ligeiro recuo face ao dia anterior, enquanto o número de infetados aumentou para 221.447.

Até ao momento 128.511 pacientes foram identificados como recuperados.

Espanha iniciou na segunda-feira a primeira fase de alívio das medidas em vigor de luta contra a covid-19, com a abertura parcial do pequeno comércio, como barbearias, cabeleireiros e restaurantes que passam a vender comida para levar.

O Governo espanhol deverá decidir até ao fim de semana quais são as províncias que podem passar à etapa seguinte do desconfinamento, que inclui a abertura de mais estabelecimentos (esplanadas e locais de culto entre outros) e o fim da obrigatoriedade de se fazer previamente marcações no comércio de rua, mas sempre com rigorosas condições de segurança e com entrada limitada.

O levantamento das medidas de confinamento em vigor só deverá terminar no final de uma quarta etapa, em finais de junho ou princípios de julho.

Parlamento espanhol prolonga estado de emergência até 23 de maio

O parlamento espanhol aprovou esta quarta-feira o prolongamento por mais duas semanas, até 23 de maio, do estado de emergência, em vigor desde 15 de março no país, com o objetivo de lutar contra o novo coronavírus.

Numa votação em que a maioria dos membros da assembleia participou a partir de casa, através de meios telemáticos, votaram a favor 178 deputados, contra 75 e abstiveram-se 97, entre eles os da maior formação da oposição, o Partido Popular (direita).

J.J. GUILLEN / POOL

As propostas feitas quinzenalmente de prorrogação do estado de emergência pelo Governo minoritário, formado por uma coligação entre o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE e o Unidas Podemos (extrema-esquerda), têm vindo sucessivamente a perder apoios, devendo esta ser a última vez que se realiza.

OMS quer missão à China para descobrir origem animal do novo coronavírus

A Organização Mundial de Saúde (OMS) quer organizar uma nova missão à China para descobrir a origem animal do novo coronavírus responsável pela pandemia de covid-19, afirmou uma responsável daquela agência das Nações Unidas.

Andy Wong

A diretora do programa de doenças emergentes da OMS, Maria Van Kerkhove, afirmou na quarta-feira numa conferência de imprensa em Genebra, que a os técnicos da organização estão a discutir com os seus pares na China a realização de "uma missão futura, que teria um foco mais académico".

O objetivo é "procurar a origem zoonótica do surto", ou seja, descobrir qual foi o animal responsável pela passagem do novo coronavírus para humanos.

Siga aqui ao minuto toda a informação sobre a Covid-19