Coronavírus

Espanha regista ligeiro aumento no número diário de mortes por Covid-19

Sergio Perez

Nas últimas 24 horas morreram 176 infetados, um número que permanece abaixo de 200 pelo quarto dia consecutivo.

Especial Coronavírus

Espanha registou 176 mortes devido à pandemia de covid-19 nas últimas 24 horas, um aumento em relação às 123 de segunda-feira, mas um número abaixo dos 200 pelo quarto dia consecutivo.

De acordo com o Ministério da Saúde espanhol, até agora, o país contabilizou um total de 26.920 óbitos desde que a doença foi declarada.

Segundo os números divulgados, há 426 novos casos positivos com a doença, elevando para 228.030 o total de infetados confirmados até hoje pelo teste PCR, o mais fiável na deteção do vírus.

Os dados diários indicam ainda que, nas últimas 24 horas, foram hospitalizados 513 doentes, num total de 123.484 pessoas que precisaram de ser internadas.

O diretor dos serviços de Alerta e Emergências Sanitárias do Ministério da Saúde, Fernando Simón, considerou os "números muito favoráveis" e destacou a descida "muito clara" para 0,19% do incremento diário de novos casos de covid-19.

Espanha é o segundo país com mais mortos com a pandemia por cada milhão de habitantes (572 óbitos), depois da Bélgica (756) e antes da Itália (508), Reino Unido (472) e França (408), numa lista em que os Estados Unidos têm 247 e Portugal 112.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 283 mil mortos e infetou mais de 4,1 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, vários países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas.

Espanha decretou quarentena obrigatória de 14 dias a todos os estrangeiros que entrem no país, a partir da próxima sexta-feira, de acordo com uma ordem do Ministério da Saúde publicada esta terça-feira, no o boletim oficial do Estado.

Qualquer pessoa de outro país que entre em Espanha deve permanecer em casa ou num hotel e só pode sair em situações específicas, como a compra de alimentos, medicamentos ou casos de força maior, saídas nas quais o uso da máscara de proteção é obrigatório.

Por outro lado, o Ministério do Interior decretou o restabelecimento do controlo nas fronteiras aéreas e marítimas internas: apenas os espanhóis, os residentes em Espanha, os trabalhadores transfronteiriços, os diplomatas e causas de força maior podem entrar no país.

Os trabalhadores transfronteiriços, os dos transportes e suas tripulações, bem como os profissionais de saúde que vão exercer a sua atividade laboral, ficam isentos desta medida, desde que não tenham estado em contacto com pessoas diagnosticadas com Covid-19.

As autoridades sanitárias também poderão contactar as pessoas em quarentena para realizarem o seguimento do seu estado de saúde e pedem que, em caso de sintomas como febre, tosse, dificuldade em respirar, mal-estar geral ou outros sintomas suspeitos de infeção pelo novo coronavírus, contactem os serviços de saúde por telefone.

Pedro Sanchez garante que Espanha está preparada para o desconfinamento