Coronavírus

Ministra diz que "não se coloca" a hipótese de um cordão sanitário na região de Lisboa

Ana Geraldes

Ana Geraldes

Jornalista

Marta Temido reuniu-se com autarcas para falar de estratégia de "testagem" em massa 

Especial Coronavírus

O aumento exponencial de casos na região da Grande Lisboa não justifica para já nenhum cordão sanitário.

Marta Temido diz que "neste momento" é uma hipótese que "não se coloca" e afirmou-o depois de cinco reuniões com autarcas de concelhos da Área Metropolitana de Lisboa onde na última semana, em contraciclo com o resto do país, surgiram focos de infeção por covid-19.

A estratégia, perante este problema, vai passar pela testagem em massa.

Já na conferência de imprensa diária da DGS a secretária de Estado da Saúde, Jamila Madeira, tinha adiantado que poderam ser realizados até 7 mil testes por dia, sendo a expetativa que durante esta semana o rastreio possa ser feito a 49 mil pessoas.

Com o aumento de casos na região de Lisboa e Vale do Tejo a ser a principal preocupação, a 3ª fase de desconfinamento foi adiada nesta zona, sendo que é uma questão que o Governo deve ponderar no Conselho de Ministros desta quinta-feira. Até lá, é expetável que os casos confirmados continuem a aumentar em concelhos que desde o fim do estado de emergência viram duplicar o número de infetados.

VEJA MAIS NO ESPECIAL NOVO CORONAVÍRUS