Coronavírus

Espanha sem mortes registadas nas últimas 24 horas e com 48 novos casos de Covid-19

Quique Garcia / EPA

Barcelona e Madrid dão mais um passo no desconfinamento, mas estão mais atrasadas que outras zonas do país.

Especial Coronavírus

O Ministério da Saúde espanhol revelou hoje que não foram resgistados óbitos nas últimas 24 horas devido a covid-19, mantendo-se em 27.136 o numero total de mortes desde o início da pandemia, e foram diagnosticados 48 novos contágios.

De acordo com as autoridades sanitárias do país, 56 pessoas que faleceram nos últimos sete dias.

Segundo os números divulgados, houve apenas 48 novos casos diagnosticados com a covid-19 nas ultimas 24 horas, elevando para 241.717 o total de infetados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

Os dados diários indicam ainda que já passaram pelos hospitais 124.348 pessoas com a doença, tendo dado entrada na última semana 145.

Os serviços sanitários espanhóis recebem diariamente os números notificados pelas 17 comunidades autónomas do país que também fazem acertos em relação aos comunicados nos dias anteriores, o que tem levado a discrepâncias nos totais apresentados.

“A validação individual dos casos está em curso, pelo que pode haver discrepâncias em relação à notificação agregada dos dias anteriores”, avisam os serviços sanitários espanhóis.

Barcelona e Madrid dão mais um passo no desconfinamento

As regiões espanholas mais povoadas, de Madrid e Barcelona, entre outras, deram hoje mais um passo em direção à desejada “nova normalidade”, apesar de estarem mais atrasadas do que outras zonas no alívio ao confinamento em vigor para travar a covid-19.

Depois de quase três meses de confinamento, 48% da população espanhola (cerca de 23 milhões de pessoas) passa a partir de hoje à chamada “fase 2” do plano para acabar com as limitações em vigor, podendo-se realizar reuniões de até 15 pessoas e deixando de haver faixas horárias para se fazerem caminhadas ou exercícios físicos no exterior.

Durante esta fase também passa a ser possível ir à praia, são abertas piscinas e ginásios com um limite de um terço da capacidade e são retomadas as visitas aos centros para deficientes e residências para idosos.

Os centros comerciais abrem com a sua capacidade limitada e os bares e restaurantes podem também passar a servir no seu interior, com um limite de capacidade de 40 %.

Os restantes 52% da população espanhola (cerca de 25 milhões de pessoas) passaram também hoje à “fase três”, mais avançada, que inclui regiões como a Galiza, La Rioja, País Basco, Astúrias, Extremadura, Andaluzia e Canárias, entre outras.

Os presidentes destas comunidades autónomas recuperaram a sua "governação plena": podem determinar se permitem a mobilidade entre as suas províncias e decidem quando chegar ao "novo normal".

Nesta fase as faixas horárias são totalmente eliminadas e são permitidos grupos de até 20 pessoas, com até 50 pessoas autorizadas a assistir aos velórios em espaços abertos e 25 em espaços fechados.

Casamentos e cultos religiosos são permitidos a 75% da capacidade (máximo 150 pessoas em áreas externas ou 75 pessoas em áreas internas), a capacidade das lojas é aumentada para 50%, assim como nos restaurantes e bares.

O estado de emergência em vigor desde 15 de março último termina em 20 de junho próximo e até ao fim do mês todas as regiões deverão concluir a “fase três”, a tempo da abertura das fronteiras terrestres com Portugal e França a partir de 01 de julho, como voltou a ser confirmado no domingo pelo primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez.

A Espanha é um dos países mais atingidos pela covid-19 que, a nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, já infetou mais de sete milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Número de infetados no mundo ultrapassa os sete milhões

A pandemia do novo coronavírus já causou a morte a pelo menos 403.449 pessoas e infetou mais de 7.030.330 em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais até às 12:00 de Lisboa.

Pelo menos 3.063.500 casos foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

Os países mais afetados:

  • Estados Unidos, com 110.514 mortes e 1.942.363 casos.
  • Reino Unido, com 40.542 mortes e 286.194 casos,
  • Brasil com 36.455 mortes (691.758 casos),
  • Itália com 33.899 mortes (234.998 casos)
  • França com 29.155 óbitos (190.974 casos).
  • China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou 83.040 casos (quatro novos entre domingo e hoje), incluindo 4.634 mortes e 78.341 recuperações.

A Europa totalizou 183.716 mortes para 2.286.470 casos, Estados Unidos e Canadá 118.373 mortes (2.038.062 casos), América Latina e Caraíbas 65.861 mortes (1.329.461 casos); Ásia 19.624 mortes (697.016 casos), Médio Oriente 10.562 mortes (480.302 casos), África 5.182 mortes (190.379 casos) e Oceânia 131 mortes (8.645 casos).

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), paralisando setores inteiros da economia mundial, num "grande confinamento" que vários países já começaram a aliviar face à diminuição dos novos contágios.

Mais seis mortos e 192 novos casos de infeção por Covid-19 em Portugal

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 6 mortos e 192 novos casos de infeção por Covid-19, de acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

No total há 1.485 mortes e 34.885 infetados.

Em comparação com os dados de domingo, em que se registavam 1.479 mortes, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,4%. Já os casos e infeção subiram 0,6%.

Portugal é o 25.º país do mundo com mais óbitos e o 30.º em número de infeções.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global