Coronavírus

Sobe para cinco o número de mortes por Covid-19 no lar de Reguengos de Monsaraz

Lar de idosos (Arquivo)

Christian Hartmann

A vítima estava internada no hospital de Évora.

Especial Coronavírus

Na segunda-feira, por volta das 15 horas, morreu mais uma utente do lar de Reguengos de Monsaraz e foram identificados mais dois casos positivos do novo coronavírus na comunidade.

Trata-se da terceira vítima mortal registada entre utentes internados no Hospital do Espírito Santo de Évora , depois de os dois primeiros óbitos terem ocorrido entre aqueles que permaneciam no lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS).

O presidente da Câmara Municipal, José Calixto, publicou a informação na rede social Facebook.

Atualmente há 148 casos positivos no concelho.

O concelho registou um total de 148 casos positivios, oito dos quais curados e cinco óbitos. Dos 135 casos ativos relacionados com o último surto, o município registou 92 na FMIVPS e 43 na comunidade.

Os números verificam-se num universo de cerca de 1.250 testes com resultado conhecido até segunda-feira, dia no qual foram conhecidos resultados de aproximadamente 70 testes.

Reguengos de Monsaraz com um dos maiores surtos de Covid-19 do país

No comunicado enviado hoje à agência Lusa, com os dados da situação epidemiológica do concelho até final de segunda-feira, a Câmara de Reguengos de Monsaraz atualizou ainda para 135 o total de casos ativos no surto detetado no dia 18 deste mês no lar da FMIVPS.

Deste total, 92 registam-se no lar, divididos entre 70 utentes e 22 funcionários, e 43 são na comunidade, ou seja, mais dois casos ativos do que na segunda-feira, pode ler-se nos dados camarários.

"Estes números verificam-se num universo de cerca de 1.250 testes com resultado conhecido" até segunda-feira, explicou o município, assinalando que, hoje e na quarta-feira, deverão ser realizados "mais cerca de 300 testes" à população para rastreio à covid-19.

No Hospital do Espírito Santo de Évora estão 13 utentes do lar internados, dos quais "três em cuidados intensivos", a que se soma também um profissional da mesma instituição, igualmente na unidade de cuidados intensivos, destacou a câmara.

Todos os restantes profissionais infetados recuperam nas suas residências, enquanto os utentes não internados dividem-se entre o lar, que foi transformado em instalações com características hospitalares, e alguns em residências próprias ou de familiares,

Segundo a autarquia, "pela impossibilidade de realizar uma monitorização de sintomas detalhados de todos os infetados, a Autoridade de Saúde Pública prevê realizar o primeiro teste de cura ao 14.º dia", ou seja, no próximo dia 03 de julho (esta sexta-feira).

E vai também "fazer uma equivalência da ala Covid do Lar a internamento e testar duas vezes para maior segurança" quanto à "não infecciosidade dos residentes em ala Covid+", acrescentou.

Os testes na comunidade continuam a ser realizados na Área Dedicada à Covid-19 de Reguengos de Monsaraz, instalada nos Pavilhões Multiusos do Parque de Feiras e Exposições, de acordo com as decisões da Autoridade de Saúde Pública.

Portugal contabiliza pelo menos 1.568 mortos associados à covid-19 em 41.912 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Reguengos de Monsaraz regista o maior surto do Alentejo, contabilizando cinco das sete mortes registadas até hoje na região (que tem um total acumulado de 477 casos de covid-19, segundo a DGS).

  • 0:55