Coronavírus

Ryanair com "rápidos progressos" no processo reembolsos de voos cancelados

Cartaz publicitário da Ryanair.

Russell Boyce

Reforçada equipa dedicada à gestão de reembolsos.

Especial Coronavírus

A Ryanair anunciou hoje que está a fazer "rápidos progressos" no processamento dos pedidos de reembolso dos voos cancelados durante o período de março a junho, devido às restrições dos governos para conter a propagação da Covid-19.

Assim, a Ryanair informou em comunicado que vai processar os pedidos de reembolso do mês de maio e a maioria dos de junho até ao final deste mês, adiantando que desde a reabertura dos escritórios da companhia em Dublin, em 1 de junho, reforçou a equipa dedicada à gestão de reembolsos para eliminar o atraso dos pedidos.

Segundo a companhia aérea, o reforço da equipa permitiu que todos os pedidos de reembolso de março já tenham sido processados, que 50% dos pedidos de reembolso de abril tenham sido processados até final de junho e fará com que os restantes pedidos de reembolso de abril sejam efetuados até 15 de julho.

Reembolsos incluem vales de viagem gratuitos e ou alterações de viagem

Estes números incluem passageiros que aceitaram vales de viagem gratuitos e ou alterações de viagem para voos operados pela Ryanair em julho, agosto e setembro, sublinha.

Adicionalmente, a Ryanair solicita aos agentes de viagens online (OTA) que forneçam detalhes precisos das suas reservas não autorizadas, para que a companhia aérea possa também processar estes reembolsos, explicando que "uma minoria significativa dos reembolsos que (...) deve processar está a ser bloqueada porque as agências de viagem online utilizam emails falsos e cartões de crédito virtuais quando fazem reservas, impedindo que estas reservas possam ser rastreadas até ao consumidor individual".

Assim, a Ryanair pede a todos os clientes que ainda não receberam o seu reembolso que contactem o serviço de apoio ao cliente da sua agência de viagens para garantir que as instruções enviadas nos emails de notificação da Ryanair foram seguidas e para confirmar que a agência de viagens online está a cooperar com a Ryanair para que estes pedidos possam ser processados.

"Estamos satisfeitos com os progressos conseguidos durante o mês de junho para eliminar o atraso dos pedidos de reembolso causados pelos cancelamentos de voos Covid-19. Mais de 90% dos passageiros que reservaram diretamente com a Ryanair e solicitaram um reembolso entre março e junho irão recebê-lo antes do final de julho", afirmou o presidente executivo da Ryanair (CEO - Chief Executive Officer), Eddie Wilson.