Coronavírus

OMS reconhece novas provas de transmissão da Covid-19 pelo ar

Handout .

Depois de 239 especialistas terem feito chegar uma carta a Genebra.

Especial Coronavírus

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu esta terça-feira o surgimento de novas evidências de que o coronavírus se transmite facilmente pelo ar, depois de na segunda-feira um grupo de cientistas apelar à organização para rever as suas recomendações de etiqueta respiratória.

A OMS já havia dito que o vírus que provoca a Covid-19 se espalha principalmente através de pequenas gotículas expelidas pelo nariz e boca de uma pessoa infetada com tendência a cair rapidamente sobre superfícies.

Agora, depois de um grupo de 239 especialistas apontar para provas de que o vírus pode manter-se ativo em gotículas suspensas no ar que infetam quem as respirar, a OMS admite esta possibilidade.

A reação da OMS

Já esta terça-feira, em conferência de imprensa, a especialista da OMS Benedetta Allegranzi admitiu a existência de novas evidências de uma transmissão pelo ar, mas reiterou que estas não são provas “definitivas”.

Sede da OMS, em Genebra.

Sede da OMS, em Genebra.

Denis Balibouse

“A possibilidade de transmissão pelo ar em locais públicos - especialmente em sítios fechados, pouco ventilados e com muita gente - não pode ser posta de lado. Todavia, as evidências precisam de ser reunidas e interpretadas”, cita a Reuters.

Segundo a epidemiologista Maria Van Kerkhove, a OMS publicará nos próximos dias uma espécie de manual sobre o conhecimento dos modos de transmissão do vírus.

As recomendações

A Organização Mundial de Saúde salienta que ainda é preciso compreender o comportamento do vírus nessa forma de transmissão pelo ar e, por isso, sugere que se evitem espaços fechados com aglomeração de pessoas, recomendando "ventilação adequada" e o uso de máscara caso não seja possível essa ventilação.

Os números da doença

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 538 mil mortos e infetou mais de 11,64 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Portugal contabiliza pelo menos 1.629 mortos associados à covid-19 em 44.416 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).