Coronavírus

Marcelo e Costa têm leituras diferentes para o fim das reuniões no Infarmed

Presidente da República defende mudança do modelo de reunião. Primeiro-ministro admite mais reuniões se houver novos dados da Covid-19.

Especial Coronavírus

O Presidente da República e o primeiro-ministro têm leituras diferentes para o fim das reuniões quinzenais no Infarmed para análise da evolução da pandemia que atinge Portugal.

Marcelo disse que as reuniões deixaram de se justificar, mas o primeiro-ministro assegura que é apenas uma suspensão temporária até que fiquem concluídos dois estudos que só estarão prontos no fim do mês.

Reuniões no Infarmed vão passar a ser realizadas num modelo diferente

As reuniões no Infarmed, que juntam especialistas e o executivo, onde era feito, periodicamente, o balanço da evolução da Covid-19, vão continuar a ser realizadas, no entanto através de um modelo diferente.

O primeiro-ministro admite que possam voltar a reunir-se com especialistas, quando houver dados novos. Mas a decisão de acabar com as sessões, como até aqui era realizadas, apanhou de surpresa os epidemiologistas e partidos políticos.