Coronavírus

Covid-19: Há três dias que o número de casos diários aumenta em Itália

Flavio Lo Scalzo

Registados 276 novos casos nas últimas 24 horas.

Especial Coronavírus

Os casos de novas infeções com o novo coronavírus aumentaram pelo terceiro dia consecutivo, em Itália, onde nas últimas 24 horas se registaram mais 276 contaminações, comparando com 229, 193 e 138, nos dias anteriores.

O número de mortes nas últimas 24 horas foi 12, o mesmo de quinta-feira, de acordo com os dados mais recentes do Ministério da Saúde de Itália.

Desde o início da pandemia de covid-19, em fevereiro, houve 242.639 casos no país e 34.938 mortes.

Quase metade dos novos casos foi registado na Lombardia (norte), a região mais atingida pela pandemia, com 135 infeções nas últimas 24 horas e seis mortes, tendo-se igualmente verificado óbitos no Piemonte (2), Veneto (2), Toscana (1) e Lácio (1)

.Atualmente, existem 13.428 positivos, mas o número de pacientes hospitalizados continua a diminuir, sendo agora de 844, e 65 estão em unidades de cuidados intensivos.

Estado de emergência em Itália poderá ser prolongado até ao final do ano

A Itália está em fase de desconfinamento das medidas de luta contra a covid-19, mas já surgiram novos surtos em várias partes do país, levando o Governo a enfatizar a necessidade de a população manter os cuidados de saúde.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, anunciou esta sexta-feira que o estado de emergência, previsto até final deste mês, deve ser prolongado até ao final do ano.

"O estado de emergência é necessário para manter o vírus sob controlo. Nem tudo foi decidido ainda, mas devemos ir nesse sentido", explicou Conte.

A Itália declarou o estado de emergência em 31 de janeiro e, durante um período de seis meses após a deteção dos primeiros casos positivos com o novo coronavírus.

O Governo italiano proibiu, na quinta-feira, a entrada de pessoas provenientes de 13 países de risco, incluindo cinco latino-americanos: Chile, Peru, Brasil, Panamá e República Dominicana. Também Arménia, Bahrein, Bangladesh, Bósnia-Herzegovina, Koweit, Macedónia do Norte, Moldávia e Omã estão nessa lista.

Os voos de Bangladesh já tinham sido suspensos por causa do registo de aumento, especialmente em Roma, de casos do novo coronavírus importados daquele país.