Coronavírus

Parques da Disney reabrem na Florida sob ameaça crescente da pandemia

Os primeiros visitantes dos parques temáticos da Walt Disney, na Florida, EUA.

John Raoux

Estado norte-americano é dos mais afetados nas últimas semanas.

Especial Coronavírus

A magia da Disney e de personagens como Mickey Mouse e Jack Sparrow voltaram no sábado a brilhar na Florida, com a reabertura de dois dos parques temáticos de Orlando, mesmo sob crescente ameaça da Covid-19.

Sob rigorosas medidas de segurança, as portas do Magic Kingdom e do Animal Kingdom foram abertas ao público em geral, enquanto as do Epcot e do Disney Hollywood Studio só abrirão em 15 de julho, seguindo "uma estratégia faseada", baseada na experiência adquirida nos parques de Xangai e Hong Kong.

Os fãs mais fervorosos do mundo Disney, com passe anual, já tinham podido aceder aos dois parques na quinta-feira. Antes da Disney, Universal, SeaWorld e outros parques temáticos de Orlando já tinham aberto as portas, que estiveram fechadas durante mais de três meses.

As medidas adotadas pelos parques

A maioria das atrações no Magic Kingdom e Animal Kingdom estão disponíveis para aqueles que cumprirem as medidas impostas, como o uso de uma máscara em todos os momentos, terem mais de dois anos, não utilizarem dinheiro e passarem por controlos de temperatura.

Além disso, o número diário de visitantes está sujeito a limitações.

Restaurantes, lojas e meios de transporte dentro dos parques, onde "os procedimentos de limpeza foram aumentados", têm também capacidade limitada, para cumprir as recomendações dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos da América (EUA) e têm barreiras físicas para proteger os visitantes.

A Walt Disney World espera que durante os primeiros dias os parques estejam na capacidade máxima, uma vez que em junho passado os bilhetes de reabertura esgotaram em algumas horas, após o sistema de reservas ter sido ativado.

Uma das novidades da reabertura é a nova versão do festival alimentar Epcot International Food & Wine, que terá lugar a partir de 15 de julho e será mantido durante o verão e o outono, para que os visitantes possam desfrutar de comida de todo o mundo.

A Florida é um dos estados que tem sido mais duramente afetado pela pandemia desde meados de junho, com milhares de novos casos todos os dias e um pico de mortes, um aumento de internamentos hospitalares e uma maior percentagem de teste positivos.

Assim, atualmente é o estado com o maior número de casos a nível nacional (mais de 244.000) depois de Nova Iorque e Califórnia, de acordo com os últimos dados da Universidade Johns Hopkins em Baltimore, Maryland.

Orange County, onde se situa a cidade de Orlando, tem um total de 16.148 casos de confirmados, e 78 mortes. Do total de infetados em Orlando, 68,87% surgiram nos últimos 20 dias.

Foi assinada uma petição para cancelar abertura dos parques

Estes números suscitaram preocupação entre a população e já há mais de 19.000 pessoas que assinaram uma petição na plataforma MoveOn.org para "não abrirem os parques até que seja seguro" fazê-lo, uma vez que "o vírus não desapareceu na Florida e a situação piorou".

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 561 mil mortos e infetou mais de 12,58 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os EUA são o país com mais mortos (134.430) e mais casos de infeção confirmados (mais de 3,21 milhões).