Coronavírus

"Pensava que o vírus era uma farsa". Homem de 30 anos morre depois de participar em "Festa Covid"

Paulo Whitaker

A festa aconteceu no Texas, nos Estados Unidos.

Especial Coronavírus

Um norte-americano, de 30 anos, morreu depois de ter sido infetado com o novo coronavírus numa "festa Covid", uma festa organizada por uma pessoa que estava doente com Covid-19.

O homem encontrava-se bem, até que a situação começou a piorar e acabou por ser internado no Hospital Methodist, em San Antonio.

Antes de morrer disse a uma enfermeira que o acompanhava: "Acho que cometi um erro. Pensava que o vírus era uma farsa", contou Jane Appleby, diretora do hospital.


"Nenhum de nós é invencível", avisa a médica

Jane Appleby explica, num vídeo destinado a alertar os jovens sobre o risco destes encontros, que a ideia das "Festas Covid" é "ver se o vírus é real e se alguém fica infetado", mas resssalva que "nenhum de nós é invencível", referindo que vários pacientes entre os 20 e os 30 anos estavam internados no hospital com complicações graves relacionadas com a Covid-19.

"Não quero ser alarmista, mas estamos a partilhar alguns exemplos do mundo real para ajudar a comunidade a perceber que o vírus é sério e pode-se espalhar facilmente", disse Jane Appleby ao The Guardian.

A médica diz que se sentiu obrigada a partilhar o caso depois de um aumento "preocupante" de infeções. Ela explica que 22% dos testes deram postivo, em comparação com 5% de há algumas semanas atrás.

A diretora do hospital deixa um conselho: "Por favor, usem máscara, fiquem em casa sempre que puderem, evitem ajuntamentos de pessoas e higienizem as mãos".

O pedido de cautela surge quando as principais autoridades de Houston, no Texas, pedem o fecho da quarta maior cidade dos Estados Unidos.

No último domingo, no Texas, registaram-se 8.196 novos casos de Covid-19 e mais 80 mortes. Há neste momento 10.410 pessoas hospitalizadas naquele estado norte-americano.