Coronavírus

Mais 8 mortes e 375 casos de Covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas

Rafael Marchante

O último balanço da DGS.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1.676 mortes e 47.426 casos de Covid-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1.668 para 1.676, mais 8 em relação a ontem, enquanto o número de infetados aumentou de 47.051 para 47.426, mais 375, um aumento de 0,8%.

Há 478 pessoas internadas, 68 estão nos cuidados intensivos.

O número de casos recuperados subiu de 31.550 para 32.110, mais 560.

77% dos novos casos em Lisboa e Vale do Tejo

Lisboa e Vale do Tejo é a região onde o aumento dos casos continua a ser mais significativo, contabilizando 77% dos novos casos, com 288 dos 375, e três das oito mortes registadas. As restantes foram três na região Norte (três), uma no Centro e outra no Alentejo.

Em número de casos, Lisboa e Vale do Tejo lidera com 23.296, seguida pela região Norte (18.215, com 31 casos novos), a região Centro (4.319, 22 casos novos), o Algarve (750, 25 casos novos) e o Alentejo (596, 10 casos novos).

Nos Açores, as autoridades contabilizam menos um caso (151) e o mesmo número de mortes (15) e a Madeira mantém o mesmo numero de casos (99) e continua a não registar qualquer óbito.

Mais mortes no Norte

Apesar dos aumentos em Lisboa e Vale do Tejo, é o Norte que regista o maior número de mortes (826), depois surge Lisboa e Vale do Tejo (550), Centro (251), Alentejo (19), Algarve (15) e Açores (15).

Casos por concelho


Continuam a existir 11 concelhos com mais de mil casos, com Lisboa (4.084), Sintra (3.219) e Loures (2.088) à cabeça. A DGS informa ainda a caracterização demográfica apenas será atualizada às segundas-feiras.

Casos por faixa etária

Por faixas etárias, o maior número de óbitos concentra-se nas pessoas com mais de 80 anos (1.122, mais oito), seguidas das que tinham entre 70 e 79 anos (324), entre 60 e 69 anos (150) e entre 50 e 59 anos (55). Há 20 mortos registados entre os 40 e 49 anos, três entre os 30 e 39 e dois entre os 20 e 29 anos de idade.

Em termos de infetados, a maioria encontra-se na faixa etária entre 40 e 49 anos (7.839), depois entre 30 e 39 anos (7.695), 50 a 59 anos (7.275), 20 e 29 anos (7.153) e mais de 80 anos (5.626).

Número de infetados em Setúbal duplicou no último mês

O número de infetados com o novo coronavírus em Setúbal duplicou no último mês. Este aumento pode ser explicado pelos convívios sem distanciamento social e sem máscaras de jovens entre os 15 e os 30 anos. Os avisos chegam sobretudo de moradores e de proprietários de bares e de restaurantes.

Sem casos em lares e bairros sociais, a autarquia apela aos jovens que aguentem "mais um pouco".

"Por outro lado, pensem nos pais e nos avós que têm em casa e no perigo de os contaminarem", disse a presidente da Câmara, Maria das Dores Meira.

Setúbal está em situação de contingência porque faz parte da Área Metropolitana de Lisboa.

Viagens de finalistas. Provedor diz que resolução só no final do ano

O Provedor do Cliente das Agências de Viagem e Turismo informou que tem recebido milhares de queixas relativas a viagens de finalistas, mas Vera Jardim garante que os clientes terão que esperar até ao final do ano para resolver as situações.

Nessa altura, poderão escolher entre realizar uma nova viagem com o seu voucher ou o reembolso do dinheiro.

Governo define regras sobre tráfego aéreo e estabelece regime sancionatório

O Governo clarificou na terça-feira as regras sobre tráfego aéreo e gestão de aeroportos no quadro da pandemia de Covid-19, e estabeleceu o regime sancionatório do incumprimento dessas regras.

  • Obrigatoriedade de os passageiros de voos com origem em países considerados de risco epidemiológico apresentarem, no momento da partida, um comprovativo de realização de teste para despiste da infeção por SARS-CoV-2 com resultado negativo, realizado nas 72 horas anteriores ao momento do embarque
  • ANA - Aeroportos de Portugal obrigada a efetuar, nos aeroportos internacionais portugueses que gere, o "rastreio de temperatura corporal por infravermelhos a todos os passageiros que chegam a território nacional

Rafael Marchante

"Estas regras não são aplicáveis aos aeroportos das regiões autónomas da Madeira e dos Açores", adianta.

Incumprimento pelas companhias aéreas ou pela ANA das regras definidas implicará o pagamento de coimas entre 500 euros e 2.000 euros "por cada passageiro que embarque sem demonstrar teste laboratorial Covid-19 negativo, ou dispensa da sua necessidade", e de coimas entre 2.000 euros e 3.000 euros "por incumprimento da obrigação de rastreio de temperatura corporal por infravermelhos a todos os passageiros que chegam a território nacional".

LINKS ÚTEIS