Coronavírus

Bares e discotecas vão poder abrir com as mesmas regras e horários dos cafés 

Reuters

Decisão deverá ser anunciada esta quinta-feira após o Conselho de Ministros.

Especial Coronavírus

Os bares e discotecas vão poder reabrir em todo o país, com as mesmas regras aplicadas aos cafés, pastelarias e casas de chá.

A notícia é avançada pelo Público, que adianta que a legislação será aprovada esta quinta-feira em Conselho de Ministros.

Encerrados desde março devido à pandemia do novo coronavírus, os espaços de diversão noturna ficaram de fora do plano de desconfinamento do Governo, devido à questão do distanciamento social.

Agora, vão poder reabrir, mas com regras. Bares e discotecas não vão poder funcionar à noite, ou seja, terão de encerrar às 20:00; não terão permissão para servir refeições, apenas alimentação ligeira, como salgados; as pistas de dança poderão ser ocupadas com mesas, cumprimento as regras de distanciamento social, e os espaços exteriores poderão ser usados como esplanadas.

O Conselho de Ministros deverá ainda aprovar novas regras para a restauração. De acordo com o diário, os restaurantes poderão receber clientes até às 24:00, durante o verão, mas terão de fechar à uma da manhã.

Governo decide hoje sobre fim da situação de calamidade nas freguesias da Grande Lisboa

O Governo deverá decidir esta quinta-feira a passagem das 19 freguesias de cinco concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML) que permanecem na situação de calamidade para a situação de contingência e o prolongamento das restrições aplicadas nesta zona.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, acompanhado pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, ministra da Saúde, Marta Temido, durante a reunião de trabalho com os presidentes de Câmara dos municípios de Lisboa, Fernando Medina, Amadora, Carla Tavares, Sintra, Basílio Horta, Odivelas, Hugo Martins e Loures, Bernardino Soares, com o objetivo discutir a estratégia de prevenção e controlo da covid-19 nos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, acompanhado pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, ministra da Saúde, Marta Temido, durante a reunião de trabalho com os presidentes de Câmara dos municípios de Lisboa, Fernando Medina, Amadora, Carla Tavares, Sintra, Basílio Horta, Odivelas, Hugo Martins e Loures, Bernardino Soares, com o objetivo discutir a estratégia de prevenção e controlo da covid-19 nos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa

ANTÓNIO COTRIM

A generalidade de Portugal continental entrou no dia 1 de julho em situação de alerta devido à pandemia de Covid-19, com exceção da Área Metropolitana, que passou para o estado de contingência. Nesta zona, que é constituída por 18 municípios, 19 freguesias de cinco concelhos - Loures, Amadora, Odivelas, Lisboa e Sintra - permaneceram em estado de calamidade.

Estes três níveis, que correspondem a diferentes restrições ao desconfinamento, estão em vigor até às 23:59 de 31 de julho.

AS RESTRIÇÕES IMPOSTAS PELA SITUAÇÃO DE CALAMIDADE

Neste momento, na AML há a limitação de 10 pessoas nos ajuntamentos, é proibida venda de bebidas alcoólicas em áreas de serviço e postos de combustíveis, é proibido o consumo de bebidas alcoólicas em espaços ao ar livre e a generalidade dos estabelecimentos comerciais têm de encerrar às 20:00.

Os hipermercados e supermercados podem permanecer abertos até 22:00, mas não podem vender bebidas alcoólicas depois das 20:00, enquanto os restaurantes podem funcionar além das 20:00 para refeições no local (tanto no interior dos estabelecimentos, como nas esplanadas licenciadas), em serviço de 'take-away' ou entrega ao domicílio.

Não é imposta hora de fecho para os serviços de abastecimento de combustível (podem funcionar 24 horas por dia exclusivamente para venda de combustíveis), farmácias, funerárias, equipamentos desportivos, clínicas, consultórios e veterinários.