Coronavírus

Portugal com 1 morte e 167 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Rafael Marchante

O último balanço da DGS.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1.740 mortes e 51.848 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu de 1.739 para 1.740, mais 1 do que ontem. Já o número de infetados aumentou de 51.681 para 51.848, mais 167, uma subida de 0,3%

Há 384 doentes internados, 41 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos.

O número de casos recuperados subiu de 37.318 para 37.565, mais 247.

Os casos por região

Quanto aos casos confirmados, a região de Lisboa e Vale do Tejo lidera, com 26.573, seguida pela região Norte com 18.854, mais 38 casos, e a região Centro tem 4.478 infeções confirmadas, mais três novos casos do que os registados na véspera, de acordo com o boletim.

O Algarve totaliza 902 casos, mais um do que na terça-feira, e o Alentejo tem mais sete casos de infeção, num total de 753.

A Madeira regista mais um caso, totalizando agora 118 infeções confirmadas, e nenhuma morte e nos Açores a DGS contabilizou mais uma infeção, totalizando 170 casos de covid-19, mantendo-se os 15 mortos já anteriormente registados.

Governo dos Açores violou Constituição ao impor quarentena obrigatória

As autoridades açorianas violaram a Constituição ao impor a quem chegasse à região uma quarentena obrigatória de 14 dias por causa da pandemia de covid-19, decidiu o Tribunal Constitucional (TC).

A decisão surge na sequência de um recurso interposto pelo Ministério Público (MP) a uma decisão tomada pelo Tribunal Judicial de Ponta Delgada de libertar um homem que se queixou da quarentena de 14 dias imposta pelo Governo açoriano.

EDUARDO COSTA

Depois da decisão do tribunal de primeira instância, o MP recorreu para o TC, mas os juízes do Palácio Raton consideram, na decisão datada de 31 de julho, que "todas as normas disciplinadoras de um direito liberdade ou garantia carecem de uma autorização prévia da Assembleia da República", exigência que "ganha particular relevância quando estão em causa compressões ou condicionamentos a um direito".

Desde o dia 26 de março que todos os passageiros que chegavam aos Açores eram obrigados a ficar 14 dias em confinamento numa unidade hoteleira indicada pelo Executivo açoriano, como medida restritiva para travar a evolução da pandemia da covid-19, tendo as despesas com o alojamento passado a ser pagas pelos passageiros não residentes no arquipélago a partir de 08 de maio.

Mais de 40% dos restaurantes pondera avançar para insolvência

Vasily Fedosenko

Cerca de 43% das empresas de restauração e bebidas e de 17% do alojamento turístico ponderam avançar para insolvência, informa o mais recente inquérito mensal da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), divulgado na terça-feira.

"(...) a esmagadora maioria refere que não irá conseguir suportar os encargos habituais, como pessoal, rendas, energia, fornecedores e outros, a partir do mês de agosto", lê-se no comunicado emitido pela entidade.

A AHRESP realçou que ainda 75% das empresas de bebidas e restauração inquiridas registaram "perdas acima dos 40%" na faturação, durante o mês de julho.

Mais de 16% das empresas do ramo não pagou os salários de julho e 14% delas "só pagou parcialmente", refere ainda o comunicado.

LINKS ÚTEIS