Coronavírus

Jornalista José Milhazes considera prematuro o anúncio da vacina contra a Covid-19

A Rússia anunciou hoje a primeira vacina contra a doença.

Especial Coronavírus

A vacina russa contra o novo coronavírus só vai começar a ser distribuída a partir do dia 1 de Janeiro de 2021.

O jornalista José Milhazes considera que o anúncio é prematuro e fala em propaganda russa.

Rússia anuncia primeira vacina contra a Covid-19. Filha de Putin já tomou

A primeira vacina a covid-19 registada no mundo, anunciada hoje pelo Presidente russo, Vladimir Putin, vai entrar em circulação em 01 de janeiro de 2021, segundo o Ministério da Saúde da Rússia.

A data para a distribuição da vacina russa contra o covid-19 foi indicada pela entidade oficial da Rússia que regista medicamentos e que pertence ao Ministério da Saúde, noticia a France-Presse, que cita as agências de notícias russas.

Nas últimas semanas, a Rússia "garantiu" a produção de milhares de doses de vacinas contra o novo coronavírus e "vários milhões" no princípio do próximo ano.

Na altura, a Organização Mundial da Saúde pediu respeito pelos protocolos e regulamentos em vigor sobre o desenvolvimento de uma vacina anti covid-19.

Há vários meses que cientistas e investigadores na Rússia têm estado envolvidos na descoberta de uma vacina, tal como outros países em todo o mundo.

Os investigadores do centro Gamaleia, na Rússia, trabalham em colaboração com o Ministério da Saúde russo.

Uma das filhas do Presidente já a tomou a vacina contra o novo coronavírus.

De acordo com o chefe de Estado, a vacina russa é "eficaz" e superou todas as provas necessárias assim como permite uma "imunidade estável" face ao covid-19.

A filha do presidente que tomou a vacina está bem, avançou Putin.

"Ela participou na experiência", disse Putin, afirmando que a filha teve um pouco de febre "e foi tudo".

  • 21:07