Coronavírus

OMS discute com a Rússia nova vacina contra a Covid-19

Handout .

Rússia anunciou a primeira vacina contra a doença.

Especial Coronavírus

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e as autoridades de saúde russas estão a discutir o processo para uma possível pré-qualificação da OMS para sua vacina contra a Covid-19 recém-aprovada, disse um porta-voz da OMS esta terça-feira.

O Presidente Vladimir Putin disse que a Rússia se tornou o primeiro país do mundo a conceder aprovação regulamentar para uma vacina contra a Covid-19 depois de menos de dois meses de testes em humanos.

"Estamos em contacto próximo com as autoridades de saúde russas e as discussões estão em andamento em relação à possível pré-qualificação da vacina pela OMS, mas, novamente, a pré-qualificação de qualquer vacina inclui a revisão e avaliação rigorosa de todos os dados de segurança e eficácia exigidos", disse o porta-voz da OMS.

Rússia anuncia primeira vacina contra a Covid-19. Filha de Putin já tomou

A primeira vacina a covid-19 registada no mundo, anunciada hoje pelo Presidente russo, Vladimir Putin, vai entrar em circulação em 01 de janeiro de 2021, segundo o Ministério da Saúde da Rússia.

A data para a distribuição da vacina russa contra o covid-19 foi indicada pela entidade oficial da Rússia que regista medicamentos e que pertence ao Ministério da Saúde, noticia a France-Presse, que cita as agências de notícias russas.

Nas últimas semanas, a Rússia "garantiu" a produção de milhares de doses de vacinas contra o novo coronavírus e "vários milhões" no princípio do próximo ano.

Uma das filhas do Presidente já a tomou a vacina contra o novo coronavírus.

De acordo com o chefe de Estado, a vacina russa é "eficaz" e superou todas as provas necessárias assim como permite uma "imunidade estável" face ao covid-19.

A filha do presidente que tomou a vacina está bem, avançou Putin.

"Ela participou na experiência", disse Putin, afirmando que a filha teve um pouco de febre "e foi tudo".