Coronavírus

Bancos europeus podem perder até 800 mil milhões de euros com empréstimos

O impacto da pandemia está a criar dificuldades financeiras a famílias e empresas, o que pode agravar os níveis de incumprimento de crédito.

Especial Coronavírus

Os bancos europeus podem ter perdas de crédito de 400 mil milhões de euros nos próximos três anos, segundo um relatório da consultora Oliver Wyman.

O cenário é ainda mais negro caso ocorra um segundo confinamento global. Nesse caso, as perdas previstas podem chegar aos 800 mil milhões de euros.

Em causa, as dificuldades financeiras provocadas pela pandemia da Covid-19 e que podem agravar os níveis de incumprimento dos empréstimos.

Bancos portugueses estão a precaver-se para as perdas

O desemprego e o fim das moratórias, sobretudo no próximo ano, podem deixar muitas famílias e empresas sem capacidade para pagar as prestações. É por isso que os bancos portugueses estão já a colocar dinheiro de lado para fazer face a essas perdas. Só as principais instituições nacionais guardaram 700 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano.

Os bancos estão também a impor mais restrições na concessão de crédito, precisamente para evitar situações de incumprimento. Ainda assim, em junho, os crédito às empresas cresceu ao ritmo mais acelerado desde 2009.

O Banco de Portugal já alertou para riscos, até porque os bancos aumentaram no segundo trimestre a exposição aos setores mais afetados, como o alojamento e a restauração. Aqueles que, possivelmente, terão maiores dificuldades em pagar os créditos no futuro.