Coronavírus

Surtos ativos de Covid-19 em Portugal. Quantos são e onde?

Lares são os principais afetados.

Especial Coronavírus

Segundo dados da Direção-Geral da Saúde, há mais de 20 surtos de covid-19 ativos em lares. A Norte, Arouca e Sernancelhe, voltam a aumentar o número de casos. Em Santarém, duas pessoas morreram e mais seis utentes do Lar Fonte Serrã testaram positivo ao vírus.

Casa de Repouso da Fonte Serrã, Santarém

Há agora 60 pessoas infetadas, 17 são funcionários e estão a cumprir o isolamento profilático em casa. Da mesma instituição, dois idosos com mais de 70 anos morreram na sexta-feira à noite no Hospital Distrital de Santarém.

Sernancelhe

Mais a norte, em Sernancelhe, distrito de Viseu, são cada vez mais as cadeias de contágio ativas.

O número de infetados subiu para cerca de 30, um número que ainda poderá aumentar.

Há infeções em dois lares da região: o de Ferreirim e o da Santa Casa da Misericórdia, onde em ambos há funcionários com testes positivos. Todos os utentes e funcionários das instituições vão ser testados esta segunda-feira, por indicação da Direção-Geral da Saúde.

Também um militar da GNR aguarda, em isolamento, o resultado do teste, isto depois de ter estado em contacto com uma pessoa infetada.

Ao todo, ainda se esperam o resultado de mais de 40 testes.

Arouca

Em Arouca há agora mais 8 pessoas infetadas, o que aumenta o número de casos ativos no município para 190. Registam-se ainda 6 óbitos, número que não se alterou desde o início da pandemia.

O principal surto acontece no Lar de Idosos de Santa Cruz de Alvarenga onde há mais de 70 pessoas infetadas.

Lousada

Em Lousada, todos os serviços do Hospital da Santa Casa da Misericórdia estão suspensos temporariamente. Isto depois de terem sido identificados 18 casos positivos.

Os 10 utentes que testaram negativo foram, entretanto, transferidos para o Centro de Medicina e Reabilitação Rovisco Pais.

Famalicão

Já em Famalicão estão também infetadas 43 pessoas num lar. 26 são utentes e apenas um está internado com um quadro clínico estável.

No país há já mais de 20 surtos ativos, e Marta Temido, ministra da Saúde, e Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho e da Segurança Social, serão ouvidas no Parlamento em breve. O propósito é tentar encontrar uma resposta ao aumento das cadeias de contágio nos lares.