Coronavírus

Covid-19 em Espanha. 35% dos novos casos são em Madrid

David Fernandez

Dez cidades da Comunidade de Madrid vão implementar novas medidas restritivas.

Especial Coronavírus

Espanha registou esta quinta-feira 9.419 novos casos de covid-19, dos quais quase 35% em Madrid, elevando para 778.607 o número total de infetados até agora, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

Por outro lado, o país contabilizou mais 182 mortes com a doença nas últimas 24 horas, aumentando o total de óbitos para 31.973.

Madrid continua a ser a comunidade autónoma com o maior número de novas infeções, tendo adicionado mais 3.227 casos aos números totais de quarta-feira, elevando o número total de infeções para 238.423 nesta comunidade autónoma.

Deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 1.280 pessoas, das quais 397 em Madrid, 147 na Andaluzia, 134 na Catalunha e 116 em Castela e Leão.

Em todo o país há 10.559 pessoas hospitalizadas com a doença, dos quais 1.561 pacientes em unidades de cuidados intensivos.

Dez cidades da Comunidade de Madrid, incluindo a própria capital, vão implementar a partir da meia-noite de sexta-feira novas medidas restritivas da mobilidade das pessoas, para tentar controlar a pandemia de covid-19.

O executivo regional desta comunidade autónoma vai respeitar as medidas tomadas, apesar de não concordar com elas e já ter anunciado que vai apresentar um recurso contra o alargamento a estes municípios do confinamento suave já em vigor em 45 zonas sanitárias, afetando um milhão de habitantes.

A cidade de Madrid tem cerca de 3,3 milhões de habitantes, mas acrescentando os restantes nove municípios, são agora mais de 4,5 milhões que agora ficam totalmente dentro do âmbito das novas medidas numa comunidade autónoma onde vivem 6,6 pessoas.

O despacho do Ministério da Saúde espanhol estabelece as medidas restritivas para municípios com uma incidência de contágio superior a 500 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias; com uma percentagem de positividade nos testes de diagnóstico acima de 10%; e uma ocupação de camas nas unidades de cuidados intensivos por doentes covid-19 acima de 35% na comunidade autónoma a que o município pertence.

As medidas são obrigatórias e incluem, entre outras coisas, a restrição da entrada e saída de pessoas, exceto deslocações "devidamente justificadas", tais como ao médico, ao trabalho, centros educativos, assistência a idosos, menores e dependentes; e viagens a bancos, tribunais ou outros organismos públicos.

As reuniões familiares e sociais, a menos que coabitem, são limitadas a seis pessoas e a capacidade máxima dos estabelecimentos comerciais e serviços abertos ao público é reduzida a 50%, devendo fechar o mais tardar até às 22:00 horas.

Para hotéis, restaurantes, cafés e bares a capacidade permitida não pode exceder 50% no interior e 60% no exterior, e o consumo ao balcão é proibido, devendo estar encerrados às 23:00.