Coronavírus

Covid-19. Comunidade de Bragança começa a sentir os efeitos do surto nos lares da Misericórdia

Número de mortes nos lares da Santa Casa da Misericórdia de Bragança aumentou para cinco.

Especial Coronavírus

Um idosa de 95 anos morreu na Santa Casa da Misericórdia de Bragança, elevando para cinco o número de óbitos na instituição que mantém 97 utentes e 26 trabalhadores com infeção pelo novo coronavírus, informou a instituição.

O mais recente balanço é de cinco mortes, todas mulheres com idades entre os 78 e os 95 anos, 97 utentes positivos e 26 trabalhadores, de acordo com dados da Misericórdia.

Entre os utentes que testaram positivo há oito que estão internados no hospital de Bragança, segundo José Fernandes, porta-voz e membro da direção.

Nas últimas horas não foram comunicados mais casos positivos e falta conhecer os resultados de 24 de um total de quase 700 testes realizados nas diferentes respostas sociais, desde o início do surto, a 23 de setembro.

Cinco casos positivos na urgência do hospital de Bragança

A Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste informou esta sexta-feira que foram detetados cinco casos de infeção pelo novo coronavírus na urgência do hospital de Bragança e que já foram testados todos os profissionais deste serviço.

A ULS do Nordeste esclarece, em comunicado, que "já realizou testes de deteção da doença a todos os colaboradores que desempenham funções no Serviço de Urgência, não tendo sido detetado, até ao momento, mais nenhum caso positivo de infeção e aguardando-se ainda alguns resultados".

Efeitos na comunidade

Este surto começa agora a refletir-se na comunidade.

Um aluno da Escola Paulo Quintela de Bragança, filho de uma funcionária da misericórdia está infetado. 4 colegas com que manteve contacto mais próximo estão em casa em isolamento profilático.