Coronavírus

Covid-19. Maioria dos alemães não espera queda dos números em 2021

Fabrizio Bensch

O índice de reprodução é, nesta altura, de 1,4, o que significa que 10 pessoas com a doença contagiam 14.

Especial Coronavírus

A Alemanha registou 2.467 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas e, de acordo com uma sondagem revelada esta segunda-feira, a maioria dos cidadãos não espera uma queda dos números em 2021.

Segundo um estudo da companhia de seguros Ergo, 60% dos alemães manifestaram-se "totalmente" preocupados com uma nova vaga de casos de covid-19 no próximo ano, especialmente a população entre os 18 e os 30 anos (70%).

As regras de contenção impostas pelo governo continuam a obter um alto nível de aceitação, e um total de 91% dos inquiridos afirma que as cumpre.

O Instituto Robert Koch (RKI) apontou hoje 2.467 novos casos, e seis novas vítimas mortais, mas com dois estados federados a falharem o envio de dados atualizados.

Os valores apontados à segunda-feira costumam ser menores do que os verificados durante a semana. No mesmo dia da semana passada, eram 1.382 os novos contágios.

Desde o início da pandemia de covid-19, a Alemanha já contabilizou 325.331 casos confirmados e 9.621 vítimas mortais. No total, cerca 276.900 pessoas já superaram a doença, 2.100 nas últimas 24 horas. Há, de acordo com o RKI, 532 pacientes nos cuidados intensivos.

O índice de reprodução é, nesta altura, de 1,4, o que significa que 10 pessoas com a doença contagiam 14.

  • 2:37
  • Marcelo Rebelo de Sousa: aprender a perder para depois ganhar o país

    Presidenciais

    Marcelo Rebelo de Sousa foi um predestinado. Nasceu e cresceu à boleia da ditadura, mas a sua luta foi pela democracia. Parecia não alimentar a vontade de alcançar altos cargos políticos e chegou mesmo a invocar o nome de Deus em vão: "Nem que Cristo desça à Terra!", dizia Marcelo. Declarou também que dez anos como Presidente da República era muito tempo. Mas ei-lo de novo a contrariar-se e a seguir o caminho que já lhe vinha a ser apontado.

    Ana Luísa Monteiro