Coronavírus

Covid-19 na Europa. Governos endurecem medidas para evitar segundo confinamento

Continente já registou mais de sete milhões de casos.

Especial Coronavírus

Com mais de sete milhões de casos de covid-19 e os números a aumentarem todos os dias, os governos europeus continuam a apostar no endurecimento das medidas de restrição, de forma a reduzir as cadeias de contágio e preservar as economias, que não aguentariam um segundo confinamento total.

Itália

Itália chegou quase às 12 mil novas infeções este domingo e, antes que a situação fique fora de controlo, o Governo decidiu voltar a apertar as medidas de restrição. Os presidentes das câmaras municipais podem decidir fechar ruas e praças a partir das 21h00 para acabarem com os ajuntamentos na via pública, e podem também estabelecer os horários dos bares.

Os restaurantes mantêm-se abertos, mas não podem estar mais de 6 pessoas em cada mesa. É obrigatório o uso de máscara em todos os locais, abertos ou fechados, à exceção da própria habitação. As escolas mantêm-se abertas, mas podem, em cada caso, optar por dividir os alunos entre aulas presenciais e online.

O teletrabalho deve ser a primeira opção, sempre que possível.

França

Em França, onde se mantém o recolher obrigatório em nove cidades, incluindo Paris, o último balanço oficial registou quase 30 mil novos casos e perto de uma centena de mortos.

Bélgica

A partir desta segunda feira, também a Bélgica aperta as medidas de restrição com os bares e restaurantes a fecharem durante quatro semanas e a proibição de andar na rua entre as 24h00 e as 05h00. O Governo belga tem registado cerca de 10 mil novas infeções diárias e uma média de 30 mortes.

  • O primeiro dia de Web Summit 

    Web Summit

    Acompanhe aqui as palestras do palco principal. Neste primeiro dia, passam pelo palco nomes como Paddy Cosgrave, CEO e fundador da Web Summit, o primeiro-ministro António Costa, Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, ou a atriz Gwyneth Paltrow.

    Em Direto

    SIC Notícias