Coronavírus

Estudo indica que vitamina D pode reduzir as complicações relacionadas com a covid-19

Estudo desenvolvido pela Escola de Medicina da Universidade de Boston mostra que níveis suficientes de vitamina D podem reduzir gravidade da covid-19.

Especial Coronavírus

As conclusões do estudo desenvolvido pela Escola de Medicina da Universidade de Boston, onde foram consideradas amostras de sangue de 235 doentes com covid-19 hospitalizados, mostram que os pacientes com níveis suficientes de vitamina D tinham uma probabilidade mais baixa de desenvolver complicações relacionadas com o novo coronavírus.

"Este estudo fornece evidências diretas de que a suficiência de vitamina D pode reduzir as complicações e, em última instância, a morte por covid-19", disse o autor Michael F. Holick, professor de medicina, fisiologia e biofísica e medicina molecular ao The National News.


A vitamina D, ou a vitamina do sol como é conhecida, pode ser absorvida pelo corpo em apenas 15 a 30 minutos de exposição solar.

A necessidade de vitamina D varia consoante a pessoa, como explica Maha Osman, especialista em medicina familiar, acrescentando que não existe um substituto adequado para o sol.

"A exposição ao sol produz uma quantidade de vitamina D na pele que pode durar duas vezes mais no sangue do que aquela que é ingerida."

Para além do sol, a vitamina D pode ser absorvida, como explica Maha Osman, através de alimentos como leite, sumo de laranja, cereais, cavala e sardinha, salmão, queijo e cogumelos.