Coronavírus

Vacina da AstraZeneca: morte de voluntário terá sido causada pela Covid-19

Os testes à vacina não vão ser interrompidos.

Especial Coronavírus

Depois de ter morrido um dos voluntários que participava nos testes da AstraZeneca, a farmacêutica e a Universidade de Oxford garantem que não há qualquer problema com a vacina. O ensaio clínico foi analisados por uma equipa de investigadores independentes que concluiu que o desenvolvimento da vacina está de acordo com as regras. Os testes não vão ser interrompido.

Fontes próximas do laboratório dizem que o homem que morreu - que tinha 28 anos e era médico - estava a tomar o placebo, e não o composto imunizante contra o coronavírus. As causas da morte estarão relacionadas com as consequências da Covid-19.

Enquanto a vacina não chega, o número de casos positivos aumenta de dia para dia e o mundo soma já 41,2 milhões de infetados. Mais de 1,1 milhões de pessoas morreram vítimas da pandemia.

Na Índia, o segundo país mais atingido, foram registados mais de 55 mil novos casos nas últimas 24 horas. Na Coreia do Sul há uma nova preocupação: desde que começou a campanha de vacinação contra a gripe sazonal já morreram 25 pessoas. Sem haver provas de qualquer relação com a vacina, as autoridades sanitárias sul coreanas garantem que não vão suspender a campanha da vacinação.