Coronavírus

Feiras e mercados: Governo recua e decisão passa a ser das autarquias

CARLOS BARROSO / LUSA

Para os feirantes o regresso às vendas é a oportunidade de recuperar das perdas causadas pela pandemia.

Especial Coronavírus

O Governo recuou e vai permitir que se realizem feiras e mercados de levante autorizados pelas autarquias.

A proibição anunciada pelo Governo para os 121 municípios abrangidos pelo dever cívico de recolhimento domiciliário foi alterada após a contestação do setor.

Caso a caso, pelo país, as autarquias poderão permitir feiras e mercados, depois de este sábado, no final do Conselho de Ministros, a proibição ter sido dada como certa.

A Área Metropolitana de Lisboa já assegurou a autorização para todos os concelhos. Os autarcas dos 18 concelhos justificam a decisão unânime com a necessidade de subsistência de produtores e comerciantes.

"Ficámos todos contentes quando ouvimos dizer que ia continuar"

Na Feira do Prado, em Vila Verde, estava previsto para, esta terça-feira de manhã, um protesto que acabou por ser desmarcado, depois do recuo do Governo na proibição destas atividades.

Uma notícia que deixou os comerciantes, como Deolinda, aliviados.

"Graças a Deus Senhor já vamos ter feirinhas para podermos andar, embora seja pouquinho é melhor que nada."

A Câmara Municipal de Vila Verde diz que cabe a cada Junta de Freguesia dar essa autorização a feiras e mercados locais e pela de Prado
esta feira tem luz verde para continuar.

Câmara de Vila Real quer concertar-se com os outros concelhos da Comunidade Intermunicipal do Douro

Apesar de estar entre os concelhos de risco, Vila Real vai manter a feira. A autarquia entende que há condições de segurança para manter o mercado ao ar livre.

Os feirantes receberam com agrado a notícia, apesar do negócio já ter conhecido melhores dias. a feira de Vila Real está longe da enchente de outros tempos e por isso ninguém entendeu a proibição do Governo dos mercados ao ar livre.

Para que possam trabalhar em segurança, a Câmara de Vila Real quer concertar-se com os outros concelhos da Comunidade Intermunicipal do Douro, para que omem todos as mesmas medidas, como por exemplo o número de pessoas que deve estar por metro quadrado.

O Governo disse que a medida não tinha ficado explícita no fim de semana, porque ainda estava a ser redigida a resolução final do Conselho de ministros. Para os feirantes o regresso às vendas é a oportunidade de recuperar das perdas causadas pela pandemia.