Coronavírus

Covid-19. Bélgica poderá ter chegado ao pico da segunda vaga

Francois Lenoir

Registou esta sexta-feira mais um recuo do número de novas infeções.

Especial Coronavírus

A Bélgica poderá ter chegado ao pico da segunda vaga da pandemia de covid-19, registando esta sexta-feira mais um recuo do número de novas infeções, disse o porta-voz federal para a Saúde, Yves Van Laethem.

"Podemos finalmente ver o pico desta segunda vaga", disse hoje Yves Van Laethem, porta-voz federal na luta contra o coronavírus, em conferência de imprensa, estimando que este poderá ter sido atingido em 27 de outubro, com 22.171 casos, tendo os números vindo a baixar desde então. "Parece que os nossos esforços estão a dar frutos, começamos a ver a redução real da curva", salientou, sublinhando que as medidas de confinamento terão que ser respeitadas por mais umas semanas: "Agora não é o momento de desistir".

Segundo os dados divulgados, na semana entre 27 de outubro e 03 de novembro foi registada uma média diária de 13.213 novos casos, um recuo de 16% face à anterior, totalizando a Bélgica 479.341 infeções desde o início da pandemia.

No mesmo período, as mortes por covid-19 aumentaram 98%, para uma média diária de 159 e um total de 12.520.

Um total de 7.282 pessoas estavam hospitalizadas até quinta-feira, mais 18% do que não mesmo dia da semana passada, das quais 1.057 em unidades de cuidados intensivos (mais 35%). Desde o início de março e até quinta-feira foram realizados 4,2 milhões de testes num país de 11,5 milhões de habitantes.

A Bélgica reforçou as medidas de confinamento no final de outubro e que vigorarão até dia 13 de dezembro, com o encerramento do comércio - à exceção de alimentação, farmácias e livrarias -, o regresso ao teletrabalho como norma e a imposição de recolher obrigatório, entre outras medidas.