Coronavírus

Governo rejeita alterar horário do recolher obrigatório 

Empresários da restauração dizem que medida põe em causa sustentabilidade do setor.  

Especial Coronavírus

António Costa entende as dificuldades que as medidas do recolher obrigatório vão colocar no setor da restauração, mas sublinha que ainda podem funcionar em regime take-away e com entregas ao domicílio.

O primeiro-ministro revelou que chegou a ser equacionado pelo Governo a limitação à circulação a partir das 15:00, no entanto, foi tido em conta os inquéritos epidemiológicos que dizem que 68% das transmissões acontecem em momentos de convívio familiar e social.

O setor da restauração através da AHRESP (Associação da Hotelaria, Restauração e Similares) entende que o Governo deve apoiar o setor com a isenção de rendas, moratórias aos impostos, descida do IVA e extensão do lay-off simplificado até ao final de 2021.

Segundo o mais recente relatório da AHRESP, 41% dos restaurantes ponderam abrir falência e 47% das empresas da restauração, hotelaria e similares já fez despedimentos.