Coronavírus

Pressão nos hospitais da Beira Interior

Paulo Gabriel

Paulo Gabriel

Repórter de Imagem

Na Beira interior há quase 2.300 casos ativos e um total de 101 óbitos em oito meses de pandemia.

Especial Coronavírus

Só na Beira Interior há 131 doentes Covid-19 internados e quase 2.300 casos ativos. O Hospital da Covilhã abriu na segunda-feira a terceira ala e reforçou o número de camas mesmo nos cuidados intensivos.

Na Guarda a pressão também aumenta com mais três surtos que atingem quase 80 pessoas. Um deles num lar em Seia onde as funcionárias, apesar de infetadas, vão continuar na instituição a cuidar dos idosos.

Ninguém vai para casa

O primeiro sinal de alerta no lar de Santa Eufémia em Sazes da Beira foi dado por uma utente com sintomas. No sábado a saúde pública fez 80 testes e foram identificados 41 idosos infetados em 58. Dois deles estão internados no Hospital da Guarda. Há ainda uma formanda contagiada tal como 18 funcionárias num universo de 28. Em condições normais sobravam dez pessoas para cuidar dos utentes covid e não covid, mas apesar do diagnóstico, ninguém vai para casa.

Retalhos da pandemia no sopé da Serra da Estrela

Na Guarda o Lar São João de Deus está na mira da saúde pública. Uma auxiliar testou positivo e depois dela nove idosos, três deles com sintomas ligeiros. Mas a instituição tem muita gente. Cerca de uma centena de utentes e 40 funcionários que vão ser testados nas próximas horas. Admite-se já que pelo menos 50% da comunidade venha a confirmar a infeção.

No Hospital da Guarda nove pessoas internadas na Medicina têm agora Covid-19. Supõe-se que o surto tenha tido origem numa auxiliar da enfermaria que testou positivo. Foram transferidos para as alas covid onde estão 60 doentes e mais oito na Unidade de Cuidados Intensivos que volta ter uma única cama livre.

Na Covilhã são 63 os doentes covid internados, cinco em Cuidados intensivos. Abriu a terceira ala e a capacidade total aumentou para 82 doentes. Na Unidade de Cuidados Intensivos o número de camas passou de seis para oito. Também ali aumenta a pressão com surtos em lares. O mais recente foi na freguesia de Dominguiso onde estão 29 pessoas infetadas entre utentes e funcionários. Um dos idosos morreu na segunda-feira aos 95 anos. Na cadeia também há um recluso e um guarda prisional infetados.