Coronavírus

Covid-19. Brasil totaliza mais de 174 mil mortes e 6,4 milhões de infetados

Pilar Olivares

Nas últimas 24 horas, foram registadas 698 mortes e 49.863 novos casos.

Saiba mais...

O Brasil ultrapassou a barreira das 174 mil mortes (174.515) e dos 6,4 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus (6.436.650), informou esta quarta-feira o Ministério da Saúde brasileiro.

Desse total, 698 óbitos e 49.863 novas infeções foram contabilizadas nas últimas 24 horas, momento em que a taxa de letalidade da doença no país está em 2,8%.

No seu último boletim epidemiológico, o Ministério da Saúde brasileiro reportou ainda que a taxa de incidência da covid-19 está em 83 mortes e 3.062,9 casos por cada 100 mil habitantes.

São Paulo é o foco da pandemia no país, com 1.259.704 casos diagnosticados, seguido pelos estados de Minas Gerais (424.155), Bahia (409.417) e Rio de Janeiro (361.397).

Já a lista de unidades federativas com mais mortes é liderada também por São Paulo, (42.456), seguida pelo Rio de Janeiro (22.764), Minas Gerais (10.121) e Ceará (9.640).

Por outro lado, um consórcio formado pela imprensa brasileira, que colabora na recolha de informações junto das secretarias de Saúde estaduais, anunciou que o país somou 669 vítimas mortais e 48.107 casos confirmados nas últimas 24 horas, totalizando 6.436.633 infeções e 174.531 óbitos.

No Brasil, país com cerca de 212 milhões de habitantes, perto de 5,7 milhões de pessoas já recuperam da doença causada pelo novo coronavírus (5.698.353). No total, 563.782 pacientes infetados encontram-se sob acompanhamento médico naquele que é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo.

Crédito extraordinário para a compra da vacina da AstraZeneca

O plenário da Câmara dos Deputados do Brasil aprovou esta quarta-feira uma medida provisória (MP) que abre crédito extraordinário para a compra da vacina da AstraZeneca. O imunizante, resultado de uma parceria entre a farmacêutica anglo-sueca com a Universidade de Oxford, será produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A MP agora aprovada autoriza o crédito de 1,9 mil milhões de reais (cerca de 300 milhões de euros) para a compra e produção de 100 milhões de doses da vacina no país.

Em agosto, o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, já tinha publicado uma medida provisória abrindo espaço no orçamento, no valor de 1,9 milhões de reais, para viabilizar a sua aquisição. Porém, o texto que precisava do aval do aval da Câmara e do Senado em até 120 dias.

O texto segue agora para o Senado, que precisa de votar a cedência desse recursos até a quinta-feira, data em que termina a validade para votação da MP.

Rede de saúde do Rio de Janeiro dá "sinais de colapso"

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), reconhecido centro de investigação médica brasileiro, alertou que a rede de saúde pública da cidade do Rio de Janeiro "voltou a apresentar sinais de colapso", situação agravada pela covid-19.

Um dos pontos apontados pelo Monitora Covid-19, grupo de estudos da Fiocruz, é a lotação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI), quer na rede pública, quer na privada.

Também as mortes em domicílios na cidade do Rio de Janeiro aumentaram este ano, o que, segundo a nota técnica, "provavelmente ocorreram sem assistência médica".

Uma das preocupações do grupo técnico é que um novo aumento de casos da doença no Rio de Janeiro aconteça perto do período do Natal e das comemorações de fim de ano, alertando que o quadro de falta de assistência se poderá agravar em breve, caso não haja um reforço na estrutura hospitalar.