Coronavírus

Covid-19. "Não há uma razão técnica para que os farmacêuticos fiquem arredados da estratégia vacinal"

Ana Paula Martins, bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, em entrevista à SIC Notícias.

Saiba mais...

As farmácias foram excluídas do processo de vacinação contra a covid-19. Esta será feita em mais de 1.200 centros de saúde, mas também nos lares e em unidades de cuidados continuados - nestes dois casos a vacina será administrada pelas equipas de enfermagem.

A bastonária da Ordem dos Farmacêuticos diz não haver "uma razão objetiva técnica ou científica para que os farmacêuticos fiquem arredados da estratégia vacinal para a covid-19". No entanto, Ana Paula Martins considera que os farmacêuticos estão preparados.

"Se formos chamados, porque não fomos, estaremos com certeza preparados. (...) Mas se não formos integrados em tempo útil, e o tempo útil é agora, não conseguiremos preparar-nos de um dia para o outro."

Ana Paula Martins disse, em entrevista à SIC Notícias, que ainda há incertezas no plano nacional de vacinação contra a covid-19.

"Um plano é um plano e aquilo que, na minha opinião, assistimos hoje [quinta-feira] durante uma hora não foi bem um plano, porque a palavra que mais se repetiu foi incerteza."

Considera que os milhões de portugueses que não pertencem aos grupos de risco também deviam ter espaço no planeamento do Governo.

Revelou ainda que a Ordem dos Farmacêuticos está a preparar o próprio plano de vacinação contra a covid-19.

"Nós vamos fazer na mesma o nosso trabalho, porque todos os dias chegam perguntas (...) e as pessoas têm alguns receios. (...) E por isso nós, a Ordem dos Farmacêuticos, vamos trabalhar a partir da próxima semana (...) no sentido de termos o nosso próprio plano."

  • 3:20